Mulher agredida pelo ex-companheiro pede ajuda temendo novas agressões

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018 às 13:09
Foto: Tocnotícias

TOCANTINÓPOLIS – M. S. G. A., 35 anos, foi agredida pelo ex-companheiro com murros e golpes de capacete na última sexta-feira (9), quando desceu de um ônibus coletivo no caminho para o trabalho. O caso aconteceu na Rua da Cachoeirinha, nas proximidades da feira livre de Tocantinópolis. Agora a mulher busca ajuda das autoridades temendo novas agressões e até a morte, pois o ex-companheiro a ameaça de morte constantemente.

“Na sexta feira eu fui trabalhar, e quando desci, me deparei com ele atrás do ônibus numa moto, ele já foi me puxando pelo braço falando que não era pra mim tentar fazer nada que ele só queria conversar comigo, e eu perguntei o que ele queria, e ele perguntou porque que eu não atendia as ligações dele, sabendo que ele tinha quebrado um celular meu anteriormente. Aí ele foi e me puxou e quando ele foi puxar minha bolsa eu caí no chão, quando eu caí no chão ele já foi me agredindo com capacete e com tapa na minha cara que cortou bem na minha testa que pegou três pontos”, relatou a mulher.

Segundo a vítima, ela vem sofrendo agressões do ex-companheiro Raimundo Nonato Alves Bezerra, 35 anos, que não aceita o fim do relacionamento de dois anos. O casal também tem uma filha. Ainda de acordo coma vítima, esta foi a segunda vez que as agressões acontecem depois da separação. A primeira agressão aconteceu há cerca de 15 dias, quando a mulher levava a filha de um ano e sete meses na casa de Raimundo para passar o dia com ele e a avó paterna.

M. S. G. afirmou que registrou boletim de ocorrência na Delegacia Especializada da Mulher, Criança e do Adolescente e relatou para a polícia que há dois meses Raimundo vem sendo agressivo com ela e afirma constantemente que vai matá-la. Na primeira agressão, ela disse que foi salva pela ex-sogra que quando apanhava com tapas e chutes do ex-companheiro.

Na sexta-feira, a polícia foi acionada quando ela estava sendo agredida na rua, mas quando chegou Raimundo já tinha fugido. Ela foi levada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e depois foi encaminhada para a Delegacia da Mulher, onde registrou a queixa contra o ex-companheiro.

O delegado Teofabio Alves Siqueira requereu a aplicação de medidas protetivas de urgência para garantir a segurança e integridade de M. S. G. A. Mas a vítima, que mora em um povoado de Tocantinópolis, afirmou que Raimundo continua ameaçando ela com ligações. Ela teme novas agressões e até perder a vida, pois precisa trabalhar pra sustentar os filhos mais tem medo de ir à cidade e não mais voltar. (Com informações do site TocNotícias)

-- Publicidade --
-- Publicidade --

Comentários no Facebook