“Essa foto é impossível de tirar”, ainda assim ele foi lá e tirou

terça-feira, 11 de fevereiro de 2020 às 16:50
Foto: Divulgação/hypescience

Estamos acostumados a ver fotografias de animais, paisagens e retratos. As imagens nos cercam em anúncios publicitários, notícias e mídias sociais. Dentre os registros da natureza estamos acostumados a ver imagens do mar, tanto da superfície quanto subaquáticas. Mas o ponto de vista escolhido por Tobias Friedrich para essa fotografia é um tanto inusitado.

Friedrich é apaixonado pelo mundo subaquático desde criança. Ele mora na Alemanha e começou a fotografar sob a água em 2007. A fixação por icebergs teve início em 2012, quando mergulhava em Tasiilaq, sudeste da Groenlândia. Enquanto navegavam, em agosto, ele percebeu que o movimento da água era irregular na superfície, com ângulos e planos. Mas, sob a água, era redondo.

Publicidade

O fotógrafo voltou três vezes para o local, da última vez em março, o fiorde estava congelado. Isso fez com que centenas de icebergs ficassem imobilizados. Por duas semanas percorreu o local com outro mergulhador em busca de formações impressionantes.

Friedrich e o companheiro de mergulho abriram triângulos de gelo de 20 polegadas de espessura, um para entrar e dois para sair, perto da base de cada iceberg. Apesar de se proteger com camadas de roupa, o rosto ficou exposto e os lábios de Friedrich ficaram dormentes em cinco minutos.

A setenta pés de profundidade, Friedrich pôde aproveitar vistas deslumbrantes do iceberg. Ele fez centenas de fotografias. Uma delas foi essa acima, que lhe rendeu o 2º lugar na categoria de água gelada no 8º Concurso Fotográfico Submarino Ocean Art. A imagem foi capturada com uma DSLR protegida por case subaquático. No registro, o companheiro de mergulho aparece sob o iceberg rodeado pelas luzes de vídeo e na contraluz da claridade externa. [WiredBelow SurfaceOcean Art]

(HYPESCIENCE)

-- Publicidade --