Homem que abandonou peixe de estimação é preso por crueldade com animais

terça-feira, 9 de abril de 2019 às 10:23
Peixe da espécie Astronotus Ocellatus (Foto: Flickr/Daniella Vereeken/Creative Commons)

Um peixinho de água doce está recebendo cuidados especiais depois de ter sido encontrado abandonado, desnutrido e vivendo em condições “deploráveis” na cidade portuária deWilmington, no estado da Carolina do Norte, nos Estados Unidos.

O bicho da espécie Astronotus ocellatus foi descoberto em uma casa desocupada no mês passado. O ex-proprietário do imóvel, identificado pela polícia como Michael Ray Hinson, foi preso na quarta-feira passada (3) com três acusações de delito de crueldade contra animais. É a primeira vez que tais acusações são feitas no condado em um caso envolvendo um peixe.

Hinson, que foi libertado após pagar uma fiança de US$ 4 mil, deve aparecer para depor no tribunal nesta quinta-feira (11), de acordo com a delegacia New Hanover County Sheriff’s Office. Não está claro se ele tem um advogado.

O tenente Jerry Brewer, porta-voz da delegacia, declarou que o homem foi expulso em 22 de março de sua casa em Wilmington. Três dias depois, policiais foram verificar a residência e descobriram um tanque de peixes em estado “deplorável”.

O peixinho foi levado para o Fish Room, aquário de Wilmington, onde Ethan Lane e outros funcionários o trataram. O rapaz disse à rede WECT, afiliada da NBC, que, quando o animal chegou, “estava em péssimo estado”.

Além disso, ele estava com um orifício na cabeça. “O buraco é um parasita que entra nos intestinos e funciona de dentro para fora, matando lentamente o peixe”, informou Lane.

O peixe recebeu uma dieta adequada e está sendo tratado com medicação. Lane suspeita que o animal sobreviveu pois teria comido baratas que caíram no tanque. Segundo ele, os Astronotus ocellatus podem crescer mais de 12 polegadas, viver até 20 anos e são “ótimos animais de estimação”. Ele estimou que o peixe resgatado tem cerca de um ano de idade.

“Nós os chamamos de pets molhados”, comentou Lane à WECT. “Eles são muito treináveis e têm personalidades fortes. Alguns podem até ser agressivos.”

As autoridades de Wilmington não divulgaram quem obterá a custódia permanente do bichinho.

(REVISTA GALILEU)

-- Publicidade --

Comentários no Facebook