Comunidade da Vila Tocantins se une em Caminhada pela Conscientização sobre o Autismo

sábado, 27 de abril de 2024 às 11:55
1.659 Visualizações

Fotos: Divulgação

ESPERANTINA – Sob o lema “Quando a gente se une, as peças se encaixam”, ocorreu na sexta-feira, 26, na Vila Tocantins, município de Esperantina–TO, a primeira caminhada dedicada à conscientização sobre o autismo. Organizada pela assistente social Renata Mascarenhas, o evento visava sensibilizar a comunidade local sobre o Transtorno do Espectro Autista (TEA).

Publicidade

Renata Mascarenhas, idealizadora do projeto, destacou a importância do conhecimento sobre o autismo, referindo-se a ele como libertador, e ressaltou a necessidade de conscientização em meio à indiferença percebida por muitas pessoas em relação ao tema.

A caminhada contou com a participação expressiva de pais, alunos de uma escola parceira e membros da comunidade. A assistente social compartilhou sua inspiração para o projeto, influenciada pela dedicação da mãe e professora Maria Helena de Assis, que constantemente busca informações sobre o TEA.

Maria Helena de Assis, por sua vez, expressou sua felicidade em compartilhar informações para promover a conscientização efetiva sobre o autismo. Ela destacou a importância de contribuir com outras mães que enfrentam desafios semelhantes, especialmente diante de diagnósticos tardios.

Espero contribuir com outras mães atípicas, pois sei o quanto é difícil um diagnóstico de transtorno na adolescência, como tem sido o meu caso com meus 2 filhos, e o que eu puder fazer para contribuir, farei, pois sinto meu coração apertado quando vejo mães com seus pequenos autistas, pois sei que na adolescência sem os devidos acompanhamentos, a realidade é árdua, tensa, a rotina da família muda completamente. Com o diagnóstico tardio e as comodidades que vêm junto não é fácil, é difícil e doloroso ver o sofrimento dos seus filhos e não poder intervir para lhes proporcionar uma vida com qualidade. Como mãe atípica sinto a necessidade de contribuir com minha parceria com cada família que vive uma realidade semelhante à minha. Minha gratidão a Renata que teve empatia pela minha luta, e vestiu a camisa da inclusão mesmo sem ser mãe atípica, isso é louvável, é uma amiga que ganhei, é uma pessoa humana que sente prazer em contribuir e ajudar o próximo”.

O evento incluiu uma palestra sobre os direitos do autista, ministrada pelo conselheiro tutelar Josivan Silva Santos, e conscientização sobre o autismo, conduzida pela Neuropsicopedagoga Dra. Miliana Augusta. A Associação de Pais, Profissionais e Amigos de Pessoas Atípicas de Araguatins–TO (APPA) também marcou presença, fortalecendo os laços com a comunidade.

Ao final do evento, Maria Helena liderou um momento de agradecimento e reflexão, destacando a importância de se unir em prol da inclusão e apoio às pessoas com autismo e suas famílias. Foi mais do que uma caminhada; foi um passo em direção a uma comunidade mais empática e inclusiva.

Por, Daiane Silva

-- Publicidade --

Comentários no Facebook