Vendas externas de produtos agropecuários do Tocantins já alcançaram montante de quase R$ 3,5 bilhões neste ano

segunda-feira, 7 de outubro de 2019 às 17:03
Valor corresponde ao acumulado de janeiro a setembro deste ano. Apesar da peste suína africana que atingiu a China, país asiático segue como o maior comprador do Estado (foto: Seagro/Divulgação)

De janeiro a setembro deste ano, as empresas e produtores tocantinenses já exportaram US$ 841,9 milhões, ou seja, quase R$ 3,5 bilhões. O valor dessas vendas de nove meses é cerca de três vezes maior que o Orçamento Municipal da Prefeitura de Palmas, capital e maior cidade do Estado, para todo o ano.

O volume de exportações foi destaque do programa Norte Agropecuário no Rádio deste domingo, 6 de outubro, na UFT FM. O total exportado para o período é o segundo maior da história do Estado, só perdendo para o ano passado, quando o valor havia ultrapassado a quantia de US$ 1 bilhão.

As informações foram apuradas pelo Norte Agropecuário no Comex Stat, sistema do governo federal que consolida as informações sobre transações comercias internacionais.

CHINA LIDERA

Mesmo com a peste suína africana que atingiu o rebanho de porcos da China e, assim, reduzindo a importação de cereais por parte dos asiáticos, o país mais populoso do mundo segue sendo o maior comprador do Estado, com US$ 474,52 milhões, 57% do total vendido pelo Tocantins ao exterior. Quase toda a compra chinesa do Estado é de soja. No ano passado, a China havia adquirido US$ 693,8 milhões de soja do Estado.

Na segunda colocação nas exportações deste ano está a Espanha, com US$ 66 milhões, dos quais US$ 52 milhões foram de soja. Hong Kong, região especial localizada na China, aparece em terceiro, com US$ 44,68 milhões, concentrados na compra de carne e derivados.

A IMPORTÂNCIA

Para José Américo, diretor de Pecuária e Agricultura da Seagro (Secretaria de Agricultura, Pecuária e Aquicultura do Estado), o bom desempenho das exportações do Tocantins é um reflexo do aumento do volume produzido. “Isso beneficia muito a balança comercial do Tocantins e se confirmar a previsão climática atual, vamos melhorar ainda mais esses números na safra 2019-2020”, ressaltou.

(NORTE AGROPECUÁRIO)

-- Publicidade --

Comentários no Facebook