Cigarro é um dos principais fatores de risco para covid-19

domingo, 31 de maio de 2020 às 08:00
Imagem: Divulgação/SES.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) criou em 1987 o Dia Mundial Sem Tabaco. A data, que é lembrada em todo 31 de maio, tem o objetivo de alertar sobre as doenças e mortes evitáveis relacionadas ao tabagismo. Dados da Pesquisa Nacional de Saúde apontam que o Estado do Tocantins possui cerca de 146.706 tabagistas.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), estima-se que, no Brasil, a cada ano, aproximadamente 157 mil pessoas morram precocemente devido às doenças causadas pelo tabagismo; além disso, fumantes adoecem com uma frequência duas vezes maior que os não fumantes e têm menor resistência física.

Publicidade

De acordo com a coordenadora estadual do Programa do Tabagismo no Tocantins, Andréa Alves, o tratamento da dependência do tabagismo é disponibilizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS), por meio do Programa Nacional do Controle do Tabagismo (PNCT), com acompanhamento multiprofissional, materiais de apoio e medicamentos gratuitos.

A gestora ressaltou que o Programa tem como objetivo auxiliar o fumante a abandonar o cigarro e a desenvolver habilidades que o ajudarão a permanecer sem fumar. “O modelo de tratamento é composto por consulta de avaliação clínica, abordagem cognitivo comportamental e apoio medicamentoso quando necessário, com possibilidade de ser realizado em grupo ou individualmente com encontros semanais no 1º mês, quinzenais no 2º mês e mensais do 3º ao 12º mês, para manutenção e prevenção da recaída”, informou Andréia.

Dados da superintendência de Políticas de Atenção à Saúde (SPAS) apontam que, em 2018 foram atendidos 1.446 e 1.084 em 2019. Os atendimentos acontecem nas Unidades de Básicas Saúde e em Unidades Especializadas (Policlínicas e Centros de Atenção Psicossocial – CAPS). Em todo Tocantins são 51 municípios cadastrados no PNCT, sendo 108 unidades de saúde ofertando tratamento especializado ao fumante.

Doenças relacionadas

O Instituto Nacional do Câncer (Inca) aponta o tabagismo com uma doença resultante da dependência de nicotina, relacionada a aproximadamente 50 enfermidades, dentre elas vários tipos de câncer (pulmão, laringe, faringe, esôfago, estômago, pâncreas, fígado, rim, bexiga, colo de útero, leucemia), doenças do aparelho respiratório (enfisema pulmonar, bronquite crônica, asma, infecções respiratórias) e doenças cardiovasculares (angina, infarto agudo do miocárdio, hipertensão arterial, aneurismas, acidente vascular cerebral, tromboses).

Há ainda outras doenças relacionadas ao tabagismo: úlcera do aparelho digestivo; osteoporose; catarata; impotência sexual no homem; infertilidade na mulher; menopausa precoce e complicações na gravidez.

(SES)

-- Publicidade --

Comentários no Facebook