Cinco candidatos gastaram R$ 6,9 milhões durante campanha no primeiro turno

quarta-feira, 13 de junho de 2018 às 09:15
Kátia Abreu foi a que mais gastou. Foto: Divulgação

PALMAS – Os cinco candidatos que não passaram para o segundo turno da eleição suplementar para governador prestaram contas ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-TO) e, juntos, gastaram R$ 6,9 milhões. Kátia Abreu (PDT) foi a candidata que mais gastou na campanha. Ela declarou à Justiça Eleitoral um gasto de R$ 4,180 milhões. Em segundo lugar está Carlos Amastha (PSB), com R$ 2,4 milhões.

Ainda conforme a prestação de contas dos candidatos, a menor despesa registrada foi a do candidato Marcos Souza (PRTB), R$ 12 mil. Nas prestações de contas consta uma dívida de campanha de R$ 1,452 milhão, referente a três candidatos.

Kátia arrecadou R$ 3,984 milhões, mas gastou R$ 4,180 milhões, sendo que deste valor pagou R$ 3,780 milhões, ficando uma dívida de R$ 400 mil. Por meio de nota, ela a senadora disse que o montante será pago pelo PDT nacional, com recursos do Fundo Partidário.

Amastha registrou o segundo maior gasto, porém declarou a maior dívida de campanha, R$ 887,9 mil. O candidato arrecadou R$ 1,599 milhão e gastou R$ 2,403 milhões, sendo que pagou desse montante R$ 1,515 milhão. Ele também disse que o pagamento nos próximos dias com recursos do fundo partidário. .

Outro candidato que também declarou dívida de campanha foi Márlon Reis, um débito de R$ 164,6 mil. Conforme sua prestação de contas, ele arrecadou R$ 141,3 mil, mas gastou R$ 248,7 mil, sendo que desse valor pagou R$ 84 mil. A assessoria do candidato explicou que o partido Rede irá pagar a dívida nos próximos dias.

Os candidatos Mário Lúcio Avelar (Psol) e Marcos Souza (PRTB) não contabilizaram dívida de campanha. Os dois tiveram os menores gastos, Souza R$ 12 mil e Avelar, R$ 101,6 mil. Os candidatos Mauro Carlesse (PHS) e Vicentinho Alves (PR) vão prestar após o 2º turno.

A produção de programas eleitorais para rádio, televisão e peças impressas consumiu mais de R$ 3,6 milhões no primeiro turno da Eleição Suplementar. Ao todo, Carlos Amastha (PSB), Kátia Abreu (PDT), Marcos Souza (PRTB), Mário Lúcio (PSOL) e Márlon Reis (Rede) gastaram mais de R$ 3,6 milhões em marketing.

A segunda despesa principal é o custo com transporte, incluindo locação e combustíveis. Nessa despesa, foram reunidos os gastos com transporte ou deslocamento, aluguel de veículos, combustíveis e doações estimadas em locação de veículos. O custo total passou de R$ 1,3 milhão para os cinco candidatos, consumindo cerca de 19% do total.

(Com informações do Jornal do Tocantins)

-- Publicidade --
-- Publicidade --

Comentários no Facebook