O 1º Encontro de Mulheres Empreendedoras do Agronegócio da Região do Bico do Papagaio acontece neste sábado, 23

quinta-feira, 21 de novembro de 2019 às 09:41
Cássia Cayres, presidente do Sindicato Rural de Augustinópolis e advogada. – Foto: Paulo Palmares/ VB

AUGUSTINÓPOLIS – Embora o cenário atual tenha mudado significativamente ao longo dos anos, com atuação de mulheres como a senadora Kátia Abreu e a advogada augustinopolina Cássia Cayres, presidente do Sindicato Rural de Augustinópolis, abrindo trincheiras no setor, liderança e empreendedorismo feminino no agronegócio ainda carece de muito mais reconhecimento e visibilidade rumo a uma maior diversidade nos negócios no campo, não só no Tocantins como em todo Brasil.

Foi pensando nisso e tendo a mulher do campo que “toca” o seu negócio com os floreios e a delicadeza peculiar da mulher que a presidente do Sindicato Rural de Augustinópolis idealizou o I Encontro de Mulheres Empreendedoras do Agronegócio da Região do Bico do Papagaio, com o compromisso de priorizar a importância do papel feminino no avanço inovador, rentável, sustentável e ético do agronegócio da região do extremo norte do Tocantins.

Publicidade

No evento, agendado para o próximo sábado, 23, serão abordados vários temas voltado para a mulher do campo e palestras, entre as quais com a senadora Kátia Abreu, destaque no setor, sendo a primeira mulher presidente do Sindicato Rural de Gurupi, presidente da Federação de Agricultura e Pecuária do Estado do Tocantins (Faet), presidente da Confederação da Agricultura (CNA) e ministra da agricultura no governo Dilma Rousseff.

Cássia Cayres explica que o encontro servirá para mostrar que as mulheres empreendedoras e demais atuantes no setor agro, como pecuaristas, executivas de corporações, agricultoras, produtoras integradas, profissionais da indústria, cooperadas, herdeiras e sucessoras de propriedades agropecuárias, nada deixa a desejar ao papel masculino exercido no setor. “Ao contrário, colocamos nossa pitada de afabilidade em um setor que é visto como viril, másculos, com muita testosterona, como se não fosse para mulheres, mas é sim e fazemos a diferença”, garante a presidente.

(Redação Voz do Bico)

-- Publicidade --

Comentários no Facebook