4 passos para ter uma rotina com mais produtividade e menos cansaço

segunda-feira, 25 de novembro de 2019 às 17:44
Dossiê – Produtividade (Foto: Ilustração: Ricardo Davino)

Estamos trabalhando mais, por mais horas e com menos equilíbrio entre tempo de lazer e de labuta. Mas isso não necessariamente significa que nos tornamos mais produtivos. Um estudo da RescueTime, empresa de software de gerenciamento de tempo, analisou 185 milhões de horas computadas por seus usuários e identificou que os trabalhadores têm, em média, somente duas horas e 48 minutos de tempo produtivo por dia, embora trabalhem pelo menos uma hora fora do escritório em quase metade dos fins de semana do ano.

“Há 30 anos, uma jornada de trabalho típica tinha oito horas por dia, das 9h às 17h, e você estava livre antes e depois”, diz Larry Rosen, professor emérito do departamento de Psicologia da Universidade do Estado da Califórnia, que pesquisa os efeitos da tecnologia na produtividade. “Desde a introdução dos celulares, essa separação desapareceu e a tecnologia trouxe tarefas adicionais, como checar e-mails e redes sociais.”

Publicidade

E não são poucas vezes: segundo a RescueTime, as pessoas verificam e-mails e apps de mensagem a cada seis minutos. E, a cada interrupção dessas, são necessários cerca de 20 minutos para recuperar o estado de foco inicial.

“É por isso que vemos empresas com muitos workaholics, mas sem resultados”, diz Caio Camargo da Silva, professor de gestão de pessoas e empreendedorismo da PUC-PR. “As pessoas entram em um modo de fazer 80 mil coisas ao mesmo tempo, sob pressão, e isso é a receita para o desastre.”

Entre os millennials, a situação é pior. Estudo da Adobe mostra que, ao contrário do estereótipo de que essa geração passa o tempo todo nas redes sociais ou mandando mensagens de texto, ela é a que mais usa e-mail fora do trabalho: é comum responder pelo smartphone inclusive da cama (70%), do banheiro (57%) e enquanto dirige (27%).

Descanso não é mimimi

Tão importante quanto manter o foco durante uma tarefa é fazer pequenos intervalos. Há estudos, como um feito pelo Instituto de Pesquisa do Exército dos Estados Unidos, que mostram que as pessoas mantêm o foco e a energia por mais tempo se fizerem pausas de 15 a 20 minutos para cada 90 minutos trabalhados.

Faz sentido pelo que já sabe a Medicina: 90 minutos é mais ou menos o ritmo natural do corpo para alternar entre estado de descanso e de alerta. Essa pausa, porém, não é parecida com a que temos feito por aí — sabe aquele tempo da hora de almoço que você fica no celular? Ela não deve incluir estímulos tecnológicos, como checar as redes sociais ou assistir a vídeos no YouTube (até os de gatinhos, que podem parecer bem relaxantes…).

“A ideia é respirar e relaxar. Experimente dar uma volta na rua, ou mesmo dentro do escritório, para dar um descanso ao corpo”, explica Larry Rosen, autor do livro The Distracted Mind: Ancient Brains in a High-Tech World (sem edição no Brasil), escrito em parceria com o neurocientista norte-americano Adam Gazzaley.

Para começar
Está difícil de você se concentrar e produzir? Experimente praticar as 4 dicas a seguir.

Dossiê – Produtividade (Foto: Ilustração: Ricardo Davino)

Passo 1
Durma bem, dizem os pesquisadores. Seu dia será improdutivo sem as oito horas de sono necessárias. Para seguir uma rotina produtiva, não há atalhos.

Passo 2
Liste as prioridades do dia por ordem de importância e pense alguns minutos como vai se dedicar a elas. Se imprevistos ocorrerem, será mais fácil decidir o que fica de lado.

Passo 3
Feito o planejamento, vá para um ambiente com o menos possível de distrações — por exemplo, fique longe de televisões, pessoas barulhentas e grande oferta de comida.

Passo 4
Estabeleça momentos para checar redes sociais e mensagens. Você saberá que deu quando o alarme tocar e estiver tão concentrado que nem vai querer saber das distrações.

(REVISTA GALILEU)

-- Publicidade --

Comentários no Facebook