Barba pode ser risco para transmissão do coronavírus?

terça-feira, 24 de março de 2020 às 17:32
Homens barbados temem lavar bem a barba. – Foto: Jonathan Daniel Pryce/divulgação

Não há consenso sobre o risco ou não do uso de barba na transmissão do coronavírus. A dúvida veio à tona principalmente após publicações atribuídas ao Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos recomendarem que as pessoas retirassem barba e bigode para evitar o contágio pelo coronavírus.

No entanto, a maioria das orientações foram baseadas em um gráfico que demonstra como a barba e o bigode poderiam influenciar na aderência das máscaras de proteção ao rosto de pacientes e profissionais de saúde.

Publicidade

Segundo o clínico geral Reginaldo Valácio, não há evidência de que o uso ou não de barba prejudica a segurança das máscaras. “Mas, coincidentemente, na equipe que trabalho, dois colegas removeram a barba por uma questão de prevenção”, afirmou. Ele disse ainda que o maior risco, na verdade, é se o uso de barba fizer a pessoa colocar a mão no rosto com maior frequência. “O maior risco está no manuseio da barba. Então, minha orientação é que, se percebe que o uso de barba te faz ajustar a máscara mais vezes, talvez seja melhor fazer a barba”.

No caso das demais pessoas, que não têm necessidade de usar máscara – o uso de máscaras é recomendado somente para pacientes com suspeita de coronavírus – a recomendação é: bom senso.

De acordo com o médico, o vírus sobrevive em superfícies por muito tempo, então poderia permanecer na barba tanto quanto nas mãos ou nas roupas. Por isso, a orientação é redobrar os cuidados com a higiene e evitar levar as mãos ao rosto. “O vírus é muito sensível a produtos de limpeza, sabonetes, detergentes, álcool, então manter os cuidados com a higiene são fundamentais.

Ainda segundo Valácio, o mesmo cuidado em relação à barba é válido para quem usa óculos e, porventura, acabam levando as mãos mais vezes ao rosto. “É preciso estar atento para não levar a mão rosto depois de tocar o botão do elevador ou pegar em uma maçaneta e higienizar bem todos os ambientes”, completou.

Ele também alertou ainda que a medida de maior importância nesse momento é manter o isolamento social, evitar aglomerações e pessoas com quaisquer sintomas gripais leves, permanecer em casa e sem contato com outras pessoas para, se for coronavírus, evitar a transmissão da doença.

(O TEMPO)

-- Publicidade --

Comentários no Facebook