Estação espacial internacional utiliza algas para produzir oxigênio

terça-feira, 14 de maio de 2019 às 09:00
Essa inovação permitirá que missões mais longas aconteçam. – Foto: Divulgação

Estação Espacial Internacional, conhecida também por sua sigla “EEI”, receberá a implementação de um biorreator que utilizará algas marinhas para produzir oxigênio em missões espaciais. Essa inovação permitirá que missões mais longas aconteçam, uma vez que não será necessário retornar ao planeta Terra para reabastecer as naves com O2.

Fotografia da Estação Espacial Internacional (Reproduzida por Mundo Educação — BOL UOL)

A espaçonave Space X Dragon, capaz de transportar cargas ou uma tripulação de até 7 pessoas, levou o nomeado “Fotobiorreator” à Estação nessa última segunda-feira (06 de maio). 

Como funciona o Fotobiorreator?

Imagem do Fotobiorreator (Reproduzida pelo site do Centro Aeroespacial Alemão)

O dióxido de carbono liberado pelos astronautas na respiração é convertido em oxigênio e em biomassa comestível, tudo isso graças ao processo de fotossíntese das algas Chlorella vulgaris que serão cultivadas à bordo da Estação.

Esse mecanismo deverá ser utilizado em conjunto com um sistema físio-químico de reciclagem de ar (Advanced Closed Loop System – ACLS), presente na Estação desde 2018.

Fotografia de algas marinhas (Reproduzida por FayerWayer)

O líder da equipe de exploração do Centro Aeroespacial Alemão, Oliver Angerer, é o responsável pela implantação dessa tecnologia. “Com a primeira demonstração com um enfoque híbrido, nos tornamos os pioneiros no futuro dos sistemas de suporte à vida. O uso desses sistemas simultaneamente é interessante, sobretudo, para estações em base planetárias e em missões de longos períodos.”, declarou ele.

O comunicado oficial feito pelo Centro Aeroespacial Alemão com maiores informações acerca do Fotobiorreator pode ser encontrado aqui (em inglês).

(MEGA CURIOSO)

-- Publicidade --

Comentários no Facebook