Rota da Seda espacial? China pretende criar zona econômica entre Terra e Lua até 2050

segunda-feira, 4 de novembro de 2019 às 12:05
18 Visualizações
Os dois satélites Gaojing-1 01/02 lançados do cosmódromo de Taiyuan, na província de Shanxi, pelo foguete espacial Longa Marcha-2D. – Foto: AP Photo / Xinhua, Li Gang

A China planeja criar uma zona econômica entre a Terra e a Lua em meados deste século, afirmou o diretor da Comissão de Ciência e Tecnologia da Cooperação em Ciência e Tecnologia Aeroespacial do país.

Em um fórum que ocorreu em Pequim nesta semana, o diretor da Comissão de Ciência e Tecnologia da Cooperação em Ciência e Tecnologia Aeroespacial da China, Bao Weimin, afirmou que o país está planejando criar uma zona econômica entre a Terra e o seu satélite.

Publicidade

Bao Weimin, citado pelo jornal The Science and Technology Daily, explicou que Pequim estudaria a viabilidade do potencial econômico do projeto, seu custo e a criação de um sistema de transporte aeroespacial que ofereça voos espaciais regulares da Terra à Lua.

No que se refere aos prazos do projeto, segundo Bao Weimin, Pequim pretende completar a investigação básica das tecnologias até 2030, construir o sistema de transporte até 2040 e estabelecer a zona econômica espacial entre a Terra e a Lua aproximadamente em 2050.

Segundo especialistas não identificados citados pela média chinesa, a zona poderia gerar US$ 10 bilhões por ano.

A exploração do espaço entre a Terra e a Lua e a criação de nova “Rota de Seda” abre muitas portas a Pequim. Segundo especialistas, isso pode ajudar a desenvolver a indústria das viagens espaciais e realizar experimentos na Lua.

Avanços da China na área espacial

Nos últimos anos, a China tem feito grande progresso na área da exploração do espaço. Em janeiro, o país lançou com êxito a sonda Chang’e-4, no âmbito do seu programa de exploração lunar, que se centra no estudo do lado oculto da Lua.

Chang'e 4 na Lua, em 12 de janeiro de 2019
Chang’e 4 na Lua, em 12 de janeiro de 2019. – © AP PHOTO / ADMINISTRAÇÃO ESPACIAL NACIONAL DA CHINA / AGÊNCIA DE NOTÍCIAS XINHUA
Em julho, a empresa i-Space se tornou a primeira empresa chinesa privada a lançar um foguete portador para órbita. Além disso, em julho deste ano, cientistas chineses anunciaram ter completado a fabricação do rover que irá explorar Marte em 2020.
(SPUTNIK NEWS)
-- Publicidade --