Estudo mostra franca recuperação do mercado de trabalho tocantinense em meio à pandemia

sexta-feira, 28 de janeiro de 2022 às 08:59
69 Visualizações
Taxa de desocupação no Tocantins estabilizou no 3° trimestre de 2021. – Foto: Agência Brasília

TOCANTINS – A Gerência de Planejamento, Monitoramento e Avaliação, da Secretaria de Estado do Trabalho e Desenvolvimento Social (Setas) e do Sistema Nacional de Empregos (Sine), realizou um estudo baseado nos dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e Base de Gestão da Intermediação de Mão de Obra (BG-IMO) e identificou os períodos durante a pandemia da covid-19 em que o mercado de trabalho tocantinense mais foi afetado. Estudo constatou, ainda, a franca recuperação do mercado com melhorias na ocupação de trabalhadores a partir do 3° trimestre de 2021.

Ao avaliar a taxa de desocupação anual no Tocantins entre 2018 e 2021, percebeu-se que o primeiro e segundo trimestre de 2021 foram os mais afetados, registrando-se a marca histórica de 17,1% seguido de 15,8%. Contudo, no terceiro trimestre de 2021, esse número volta a se estabilizar na casa dos 9% a 12%. Para o gerente responsável pelo estudo, Rairivaldo Novaes, a referida estabilidade é sinal de que o mercado de trabalho tocantinense está em franca recuperação. “Ao organizar os dados em um gráfico, percebemos que, no quarto trimestre de 2019, a taxa de desocupação no Tocantins era de 9,3%, a curva oscilou nos últimos dois anos com os picos comentados, mas no terceiro trimestre de 2021 volta a casa dos 9% a 12%”, explica o gerente.

Publicidade

Para o secretário do Setas, José Messias Araújo, muitos têm sido os esforços do Governo do Tocantins para minimizar os impactos da pandemia desde o seu início, em março de 2021. “Mesmo com todas as medidas sanitárias necessárias, nós procuramos assistir os trabalhadores tocantinenses seja com o seguro-desemprego, seja apoiando para retomar ao mercado ou ter acesso ao primeiro emprego”, avalia o gestor.

O estudo traz ainda um perfil do trabalhador desocupado no Tocantins. Quanto ao nível de instrução, 49,8% tem nível médio (completo ou incompleto), e 26,5% tem nível fundamental (completo ou incompleto ou não tem instrução) e apenas 11,5% terminou o ensino superior. O gerente Rairivaldo destaca que quanto maior a escolarização do indivíduo menor a probabilidade de desemprego de acordo com as pesquisas. “O investimento correto e o acesso de todos à educação de qualidade continuam sendo a porta para uma sociedade com mais justiça social e igualitária. A redução do desemprego passa por essa seara”, declara Rairivaldo.

Governo do Tocantins apoia o trabalhador

No que se refere ao trabalho formal, o Governo do Tocantins visa diminuir os caminhos entre quem deseja contratar e quem está a procura de um emprego. Para tanto, são oferecidos, por meio do Sine, uma série de serviços aos cidadãos como capacitação, intermediação de mão de obra, orientações para carteira de trabalho digital, seguro-desemprego, entre outros.

Diariamente, o Sine Tocantins oferece em média 500 vagas de emprego em suas nove unidades no Estado. Devido à pandemia da covid-19, os atendimentos acontecem de forma remota e o cidadão pode acessá-los por meio dos seguintes canais; em Palmas, pelo WhatsApp: 3218-1957 ou e-mail: [email protected]; em Paraíso, pelo WhatsApp (63) 3602-3340 ou e-mail: [email protected]; e em Gurupi, pelo WhatsApp (63) 3351-2477 ou e-mail [email protected].

Nas mensagens enviadas a esses contatos, devem constar nome completo do interessado, número do CPF e nome da mãe.

Nas demais unidades do Sine, o contato só pode ser feito por telefone convencional e os números podem ser acessados no site da Setas https://setas.to.gov.br/vagas-de-emprego/contatos-do-sine-tocantins-/.

Gráfico mostra taxa de desocupação no Tocantins no período de 2018 a 2021 – Setas/Governo do Tocantins

(SECOM TO)

-- Publicidade --