Prefeito de Araguaína também tem nome citado na Lava Jato

sábado, 15 de abril de 2017 às 20:02
161 Visualizações

O nome do prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas (PR), está entre os onze tocantinenses citados na lista do relator da Laja Jato no Supremo Tribunal Federal, ministro Edson Fachin. A lista foi divulgada na tarde desta quarta-feira (11) e causou muita repercussão no meio político do estado e em todo o Brasil.

No caso de Ronaldo Dimas, o documento cita apenas que pedido para investigação foi enviado ao Tribunal Regional da 1ª Região (TRF1). Entretanto, não detalha os motivos.

Publicidade

Conforme informações do G1, o delator Mário Amaro da Silveira da Odebrecht informou que a empreiteira repassou o valor de R$ 650 mil a cinco políticos do estado, entre eles, Ronaldo Dimas.

Conforme reportagem do G1 Tocantins, Dimas e outros cinco políticos receberam dinheiro da Odebrecht para campanha de 2012. “O delator Mário Amaro da Silveira informou pagamentos de vantagens a estes políticos durante campanhas eleitorais do ano de 2012. Conforme os relatos, os valores pagos pelo Setor de Operações Estruturadas, totalizaram R$ 650 mil,” relata a matéria.

Ainda de acordo com o G1, os políticos tocantinenses que teriam recebido doações da empreiteira são. Marcelo de Lima Lélis (PV), ex-deputado estadual do Tocantins; Eronildes Teixeira de Queiroz, ex-prefeito de Taguatinga; Ronaldo Dimas (PR), prefeito de Araguaína; Laurez da Rocha Moreira (PSB), prefeito de Gurupi e Zélia Ribeiro.

Resposta de Dimas

Em nota, o prefeito de Araguaína afirmou que não sabe do que está sendo acusado e disse ainda que nos últimos quatro anos teve “relacionamento difícil” com a Odebrecht.

“Uma manhã estranha esta de hoje, 12 de abril de 2017.

Como nem sei qual o teor e muito menos do que estou sendo acusado, informo que nao recebi nenhum recurso ilícito e todas as contas das campanhas eleitorais que participei foram aprovadas.

É de conhecimento comum que a Odebrecht era a acionista majoritária da Saneatins e o que tivemos ao longo dos últimos quatro anos foi um relacionamento muito difícil, sempre exigindo melhorias na qualidade dos serviços, em função dos inúmeros estragos na pavimentação causados pelos frequentes vazamentos na rede de distribuição de água e o atraso na implantação da rede de tratamento de esgoto de Araguaína.

Me pronunciarei com maior clareza após ter todas as informações” finaliza Ronaldo Dimas.

-- Publicidade --

Comentários no Facebook