Alunos da zona rural de Araguatins precisam andar 3km a pé para conseguir pegar transporte escolar

quarta-feira, 12 de setembro de 2018 às 11:53
Foto: Divulgação

Alan Milhomem / Voz do Bico

ARAGUATINS – Alunos do Projeto de Assentamento Santa Cruz 2 precisam andar 3km a pé para conseguir pegar o transporte escolar e poder chega à escola mais próxima. O motivo da situação é a falta de pontes sobre um córrego que passa próximo a comunidade. Conforme os moradores, a situação se arrasta por cerca de dois meses. Os alunos precisam sair 10h de casa para conseguir chegar no horário da aula e só chegam em suas residências depois das 19h.

Os moradores disseram que a estrutura da ponte ameaça desabar a qualquer momento e, por isso, atearam fogo como forma de protesto para que a prefeitura resolvesse a situação de forma mais rápida, porém até o momento nada foi feito. Agora a comunidade teme que os alunos fiquem se estudar por causa do período chuvoso que se aproxima na região e impossibilitaria a passagem dos alunos pela estrutura improvisada onde a ponte desabou.

O assentamento fica na zona rural de Araguatins, porém os alunos estudam no município de Buriti por ser mais próximo. Boa parte dos moradores do assentamento também vota no município vizinho. Por causa dessa situação, a comunidade relata que os prefeitos dos dois municípios ficam passando o problema de um para o outro e não resolvem a situação. Enquanto isso, os alunos sofrem para chegar até a escola.  Veja como está a situação:

A reportagem do Portal Voz do Bico entrou em contato com o secretário de Infraestrutura de Araguatins, Jorge Donizete, e ele disse que o assentamento de fato pertence ao município de Araguatins e tem conhecimento da situação. Segundo ele, são duas pontes quebradas na região do assentamento.

“O prefeito tem buscado recursos para conseguir pranchas de concreto e resolver essa situação das pontes de madeira, mas ainda não temos previsão de quando o serviço será feito, pode ser amanhã ou daqui a uns dias, vai depender da ordem do prefeito, pois estamos passando por dificuldades financeiras e fazemos essas obras com recursos próprios”, disse o secretário.

Ainda segundo o secretário, caso não seja possível o município adquirir os materiais de concreto para fazer as pontes, elas serão recuperadas e feitas de madeira novamente.

-- Publicidade --
-- Publicidade --

Comentários no Facebook