Dez suplentes tomam posse na Câmara de Vereadores de Augustinópolis

sábado, 26 de janeiro de 2019 às 12:25
Foto: Paulo Palmares

Alan Milhomem / Voz do Bico

AUGUSTINÓPOLIS – Após decisão da Justiça de afastar por 180 dias 10 vereadores nessa sexta-feira (25), a Câmara Municipal de Augustinópolis realizou Sessão Solene pouco depois do meio dia deste sábado (26) para empossar os 10 suplentes. Antes da posse, a maioria dos novos vereadores passou a manhã em reunião com advogados.

Publicidade

Foram empossados: Antônio Reinaldo Ferreira Gomes (Reinaldão), Josenildo Ferreira Barbosa (Lagoa), Daniel Walisson de Jesus Sousa, Frederico Guedes de Oliveira, Elias Madeira Pereira, Solange dos Santos Araújo (Solange do Donizete), Marconcélio Assunção da Silva, Jarbas Fernandes de Andrade (Cabeção), Edimar Cardoso de Oliveira (Edmar do Artur) e Joacy Costa.

Foto: Paulo Palmares / Voz do Bico

A mesa diretora agora é formada por Cícero Moutinho, que permanece na presidência, Elias Madeira como vice-presidente, Joacy assume a primeira secretaria e Solange é a segunda secretária. Como apenas quatro suplentes foram diplomados pela Justiça Eleitoral, os demais tomaram posse com os documentos pessoais.

Conforme foi informado ao Portal Voz do Bico, a Assessoria Jurídica da Câmara de Vereadores ficará a cargo de Parente e Aguiar Advogados e Associados, que desde sexta-feira já estava prestando orientações jurídicas aos novos parlamentares.

Vereadores fazendo juramento. Foto: Paulo Palmares / VB

Operação Perfídia

Os suplentes tomaram posse após a Polícia Civil deflagrar, nessa sexta-feira (25), a Operação Perfídia que investiga a cobrança de propina por parte dos vereadores de Augustinópolis para aprovar projetos da p\refeitura. Dez dos 11 vereadores tiveram a prisão decretada. Nove já estão presos. Os dez também foram afastados das funções públicas por 180 dias.

Segundo a Polícia Civil, os valores pagos eram proporcionais ao grau de influência dos vereadores e variavam de R$ 1,5 mil a R$ 8 mil por mês. As investigações apontam que o esquema movimentava cerca de R$ 40 mil por mês. A suspeita é que o esquema estaria funcionando desde 2017 e já teria causado um rombo de R$ 1,5 milhão aos cofres públicos. Na decisão que decretou a prisão dos 10 vereadores, o juiz Jefferson Asevedo destaca que os parlamentares Neguim da Civil e Luizinha lideravam o esquema de recebimento de propina e recebiam os maiores valores.

Tiveram a prisão decretada e foram afastados dos cargos os seguintes vereadores: Maria Luisa de Jesus do Nascimento (Luizinha), Antônio Silva Feitosa, Antônio Barbosa Sousa, Ozeas Gomes Teixeira, Francinildo Lopes Soares (Nildo Lopes), Angela Maria Silva (Angela do Rapadura), Marcos Pereira de Alencar (Marquim da Igreja), Wagner Mariano Uchôa (Vaguim do Hospital), Edvan Neves Conceição e Antônio José Queiroz dos Santos. Este último está foragido.

-- Publicidade --