Escolas de Sítio Novo realizam ações de conscientização contra o trabalho análogo à escravidão

sexta-feira, 9 de novembro de 2018 às 15:19
Foto: Divulgação / Seduc

SÍTIO NOVO – Estudantes e professores da Escola Estadual Manoel Estevão de Souza e do Colégio Estadual Marechal Ribas Júnior percorrem, na tarde desta sexta-feira (9), as principais ruas do município de Sítio Novo do Tocantins para abordar sobre os temas discutidos durantes as ações do projeto Escravo, Nem pensar!

Conforme a diretora da Escola Estadual Manoel Estevão, Luciléia Lima Freire, mais de 500 alunos participam da ação. “Nosso objetivo é chamar a atenção da comunidade para o trabalho escravo que ainda é uma realidade muito forte no país. Nossa intenção é acabar com essa prática que fere os princípios da dignidade humana”, disse.

O Projeto Escravo, Nem pensar! busca diminuir, por meio da educação, o índice de trabalho análogo à escravidão em regiões cuja situação ainda é registrada pelos órgãos responsáveis. Além disso, o programa visa difundir o conhecimento a respeito de tráfico de pessoas e trabalho escravo rural contemporâneo como forma de combater essa violação dos direitos humanos.

Criado em 2004, por meio de uma parceria entre a ONG Repórter Brasil e a Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República, o projeto tem como meta diminuir o número de pessoas aliciadas para o trabalho escravo, ou submetidos a condições análogas à escravidão no campo e nas cidades brasileiras, por meio da educação. No Tocantins, a ação é desenvolvida pela Secretaria de Estado da Educação (Seduc) e pela Secretaria da Cidadania e Justiça (Seciju), além disso conta com apoio do Ministério Público do Trabalho (MPT) e com a parceria da Comissão Pastoral da Terra e da Comissão Estadual para a Erradicação do Trabalho Escravo no Tocantins. (Redação Voz do Bico, com informações da Seduc)

-- Publicidade --

Comentários no Facebook