Governo do Estado garante execução das obras do frigorífico municipal de Ananás e mais seis municípios

terça-feira, 16 de abril de 2019 às 11:40
Dos oito matadouros anunciados pelo Governo, sete já estão em construção. Foto: Divulgação / Governo do Tocantins

ANANÁS – Sete frigoríficos municipais em construção no interior do Tocantins estão em fase adianta das obras. O município de Ananás é um dos contemplado com o projeto e a obra já está com quase 40% de execução.

O secretário executivo de Agricultura, Pecuária e Aquicultura (Seagro), Thiago Dourado, as obras estão sendo acompanhadas de perto pelo Governo do Tocantins e cada indústria tem um cronograma diferenciado. As duas mais adiantadas são as de Ponte Alta do Bom Jesus e Novo Acordo.

Publicidade

Os frigoríficos municipais estão sendo construídos em uma área total de 883,60 m² cada, com a proposta de abate de 50 cabeças de gado por dia, podendo se estender de 100 ou mais cabeças, por meio da ampliação da câmara frigorífica. São investimentos de R$ 500 milhões garantidos até dezembro de 2020, relativos ao Projeto PDRIS, com R$ 18 milhões destinados para essa finalidade.

Segundo o secretário executivo da Seagro, Thiago Dourado, a demanda hoje do Estado para abastecimento de carne bovina é de 1.600 cabeças por dia, sendo que 50% são supridas nos abastecimentos formais de cidades polos como Palmas, Araguaína, Porto Nacional, Gurupi e Paraíso.

Os matadouros em construção estão direcionados inicialmente para atender as cidades pequenas que possuem maior dificuldade, ofertando 400 cabeças por dia, que sana mais 25% da demanda total, e consegue atender até 400 mil pessoas por dia.

“É importante deixar claro que os benefícios dessas indústrias são para as regiões adjacentes às localidades de instalação. O ponto de equilíbrio calculado para o abastecimento se estende a um raio de 200 km, atendendo cerca de 125 cidades no total”, destacou Thiago Dourado.

Em visita realizada aos matadouros em construção, no mês de fevereiro passado, o titular da Seagro, César Halum, ressaltou a importância da instalação de indústrias frigoríficas no interior do Estado, o que promoverá o desenvolvimento regional, aproximando o produtor pecuarista da unidade de beneficiamento, gerando emprego e oportunidades, além de garantir uma carne de qualidade, inspecionada que proporcionará a segurança alimentar.

O secretário complementou, afirmando que a instalação desses frigoríficos também é uma forma de aumentar a segurança do homem do campo, que muitas vezes tem seu gado roubado e levado ao abate nos frigoríficos clandestinos, os quais não possuem o controle de inspeção e não se preocupam com a origem da carne.

A escolha dos municípios beneficiados com o programa, e consequentemente com a construção dos matadouros, obedeceu aos critérios impostos de viabilidade como sanidade, suficiência de rebanhos, demanda de abate condizente com a capacidade dos matadouros, compras institucionais, Compra Direta Local e Programa Nacional de Alimentação em Escolas (PNAE), garantia de comercialização, processo de abate certificado com o Serviço de Inspeção Municipal, dentre outras normas. O projeto de construção já foi aprovado. (Redação Voz do Bico, com informações da Assessoria)

 

-- Publicidade --