Governo e investidor discutem início das atividades no Porto de Praia Norte

quinta-feira, 19 de julho de 2018 às 19:40
O empreendimento deve funcionar em breve. Foto: Esequias Araújo/Governo do Tocantins

PALMAS – Em reunião no Palácio Araguaia, nesta quinta-feira (19), o governador Mauro Carlesse e presidente do Porto de Praia Norte, Klaus Weyand, discutiram os detalhes para funcionamento do empreendimento, que deve receber em breve, da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), a licença de operação como Estação de Transbordo de Cargas.

Considerado um dos marcos na industrialização no Bico do Papagaio e do Tocantins, o Porto de Praia Norte é um empreendimento privado e será o primeiro porto fluvial interestadual como estação de transbordo de cargas com papel estratégico no fluxo logístico do país, ligando o Estado ao Oceano Atlântico.

Publicidade

Durante a reunião, o presidente do empreendimento apresentou a situação atual das obras e o potencial do porto, que já poderá iniciar algumas operações. “Essa primeira etapa é uma operação que não depende da navegação. É puramente terrestre, com transbordo; e a outra é uma operação de combustível”, garantiu Klaus Weyand.

Com relação a parte hidroviária, o presidente disse que vai demorar mais, pois depende da instalação de um terminal específico para soja. “Estamos com todas as licenças para instalação. Estamos definindo agora o investidor que vai iniciar essa obra”, destacou.

Na operação terrestre, o porto funcionará como ligação de cargas para depois migrar para o transporte hidroviário, tendo como pontos de apoio as cidades de Belém (PA) e Manaus (AM). “Isso iria, inicialmente, de Belém até Praia Norte, mas com a navegação funcionando, principalmente com a cheia, de janeiro até julho, a gente pode migrar para hidrovia”, acrescentou o presidente.

Para o governador, o porto pode ser mais uma ferramenta na política de industrialização do Tocantins. “O Estado precisa se desenvolver e a indústria é fundamental. Com o porto poderemos não só levar, mas também trazer matérias-primas e outros produtos para cá, o que, consequentemente, atrairá novas empresas”, destacou Mauro Carlesse. (Redação Voz do Bico, com informações da Assessoria)

 

-- Publicidade --

Comentários no Facebook