“Foi coisa do Satanás”, alega suspeito de violentar a prima em Araguatins

segunda-feira, 28 de setembro de 2020 às 08:58
Foto: Reprodução/Diário do Pará.

ARAGUATINS – A Polícia Civil do Tocantins, por intermédio da 1ª Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher e Vulneráveis (1ª DEAM-V) de Araguatins, deu cumprimento nessa sexta-feira, 25, ao mandado de prisão preventiva em desfavor de um homem de 32 anos pela suposta prática do crime de estupro de vulnerável.

Conforme o delegado-chefe da 1ª DEAM-V, Eduardo Morais Artiaga, as investigações apontaram que o crime foi praticado pelo cunhado e primo da vítima, que tem apenas 11 anos de idade. Os abusos ocorreram após a criança ficar aos cuidados da irmã, que é casada com o suspeito, em virtude da sua mãe ter viajado.

Publicidade

Também foi apurado que os abusos ocorreram por quatro dias seguidos. Conforme investigado, o suspeito aguardava sua esposa dormir para depois abusar da criança. A autoridade policial informou ainda que os abusos estavam evoluindo a cada dia e que a criança chegou a ligar para a mãe dizendo que iria sair da casa da irmã, ocasião em que a vítima contou tudo para sua mãe.

O delegado Artiaga asseverou que o mais estarrecedor no caso, além, é claro, dos abusos, foi o fato de o investigado ter procurado a mãe da criança e a própria vítima para tentar justificar sua conduta pervertida, dizendo que tinha um sonho de conhecer uma criança e que quando viu a menina dormindo, não resistiu. Depois ele pediu perdão para a mãe e a vítima, dizendo que foi “coisa do Satanás”.

Após a confirmação da autoria do crime, a autoridade policial representou junto ao Poder Judiciário pela prisão do indivíduo, a qual foi deferida. De posse da ordem judicial, os policiais civis passaram a diligenciar e localizaram o investigado, que foi, então, conduzido à sede da 1ª DEAM-V, onde a autoridade policial deu cumprimento ao mandado de prisão.

Após os procedimentos legais cabíveis, o homem foi encaminhado à carceragem da Cadeia Pública de Araguatins, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário.

(Ascom 9° BPM)

-- Publicidade --