Motorista de Hilux que quase atropelou grupo em Araguatins é investigado pela polícia civil

terça-feira, 17 de novembro de 2020 às 17:22
Momentos após o ocorrido. Foto: Divulgação.

ARAGUATINS – Um grupo que estava reunido para acompanhar as apurações das eleições em Araguatins na noite desse domingo, 15, foi surpreendido por uma Hilux que quase atropelou algumas pessoas. O delegado Thiago Bustorff, um dos responsáveis pelas investigações do caso, esclareceu como ocorreu o crime.

O delegado recebeu uma ligação do filho do vereador Jairo Ribeiro informando que uma caminhonete havia tentado atropelar seu pai, que estava do lado de fora de casa com várias outras pessoas acompanhando a apuração dos votos.

Publicidade

Quando o delegado chegou ao local, o motorista da caminhonete e o seu irmão, que estava junto com ele no veículo e também é vereador de Araguatins, fugiram. Porém, o vereador foi encontrado pela polícia em sua casa e conduzido à delegacia para relatar o que havia acontecido.

Enquanto isso, testemunhas contaram ao delegado que o motorista havia avançado com a Hilux na direção das pessoas presentes, derrubando os cones colocados para isolar o local e evitar acidentes. Conforme investigado posteriormente, uma grávida chegou a ser atingida pelo veículo, sendo levada para o hospital em seguida. Um criança de cinco anos e dois adultos quase foram atropelados.

Momentos depois, o motorista do carro se apresentou na Delegacia da Polícia Civil, motivo pelo qual não foi dada ordem de prisão em flagrante. Um inquérito policial foi instaurado para apurar o caso. “O que eu visualizei foi tentativa de homicídio com dolo eventual, quando o autor assume os riscos da sua conduta”, disse o delegado, acrescentando que o homem estava embriagado. Ainda não foi confirmado se o vereador que estava na caminhonete teve algum envolvimento com a ação.

Um detalhe analisado pela polícia civil é que a esposa do vereador Jairo Ribeiro havia recebido uma ligação horas antes avisando-a de que seu esposo não deveria sair de casa por que alguém em Araguatins estava procurando matá-lo. Ainda não há provas de que o caso da Hilux tenha relação com a ligação recebida.

O motorista do veículo alegou que não havia visto os cones utilizados para isolar o local e que as pessoas presentes no evento é que tinham colocado os cones embaixo da Hilux para incriminá-lo. Porém, um policial civil contou que havia passado horas antes pela rua em que o evento aconteceria e confirmou que os cones já estavam lá.

O homem também disse que havia apanhado das pessoas que estavam no local, mas quando chegou à delegacia, não tinha sinais externos de agressões, segundo o delegado.

Conforme testemunhas, o motorista chegou a agredir a irmã do vereador Jairo. Também foi dito que ele ou algum dos populares portava um facão, mas a polícia não chegou a confirmar esse detalhe. Outros elementos serão investigados, como alguns danos sofridos pela caminhonete, que ainda não se sabe se foram ou não provocados pelas pessoas indignadas com a situação.

(Voz do Bico)

-- Publicidade --