Prefeito de Esperantina emite nota e afirma que não foi alvo de operação da Polícia Civil

sexta-feira, 22 de março de 2019 às 17:48
Foto: Paulo Palmares/ VB

Redação Voz do Bico

ESPERANTINA – Após ser citado nas ações da Operação Isis, realizada pela Polícia Civil nesta sexta-feira (22) e que apura fraudes no Naturatins de Araguatins, o prefeito de Esperantina, Armando Alencar, divulgou nota de esclarecimento sobre o caso, na qual diz que não foi alvo da operação ou de medida coercitiva, e que não houve busca e apreensão a pessoas ligadas a ele. O prefeito também afirma que não houve buscas na casa dele e na sede da Prefeitura de Esperantina.

Publicidade

Veja a nota do prefeito

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Eu Armando Alencar da Silva, Prefeito do Município de Esperantina/TO, venho a público prestar esclarecimentos sobre os fatos veiculados na data de hoje em sítios eletrônicos de que fui alvo da Operação Isis, deflagrada pela Polícia Civil. Informo que não fui alvo de qualquer medida coercitiva, busca e apreensão ou prisão, tampouco de qualquer pessoa ligada a mim. Esclareço ainda, que não houve buscas na sede da Prefeitura Municipal de Esperantina ou mesmo em minha residência.

Entenda o caso

Deflagrada nesta sexta-feira (22) pela Polícia Civil, a Operação Isis investiga um suposto esquema criminoso que agia dentro Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), regional de Araguatins. O grupo seria responsável por cobrar propina de fazendeiros e até de prefeituras para retirar multas e liberar licenças ambientais. Foi decretada a prisão temporária de 8 pessoas, entre elas o irmão do deputado Amélio Cayres (SD), Armando Cayres de Almeida.

Após a condução de Armando Cayres e da condução coercitiva de um advogado, a polícia disse que ficou comprovado que Armando não tem ligação com o esquema e ele foi liberado. O delegado Thyago Busttorf, que comanda as investigações, divulgou um áudio citando o prefeito de Esperantina.

“A princípio, nas ligações interceptadas, citava-se o nome do deputado Amélio Cayres e também de Alvimar Cayres, ex-prefeito de Buriti, que são irmãos de Armando Cayres. Só que, com as informações que chegaram ao meu conhecimento hoje pela manhã, na verdade esse Armando não seria o Cayres e sim o Armando prefeito de Esperantina, segundo informações prestadas pelo advogado conduzido e pelo próprio Armando Cayres”, disse o delegado no áudio.

Ainda segundo o delegado, o prefeito tem foro privilegiado e o caso foi remetido ao Tribunal de Justiça do Tocantins, que deve apurar o caso. Na operação desta sexta-feira não foi realizada nenhuma diligência relacionada ao prefeito de Esperantina.

Nesta sexta-feira (22), sete pessoas foram presas e 15 mandados de intimação, busca e apreensão foram cumpridos pela Polícia Civil nas cidades de Araguatins, Augustinópolis, Axixá e Buriti do Tocantins para apurar esse suposto esquema de fraudes no Naturatins, regional de Araguatins.

-- Publicidade --

Comentários no Facebook