Presidente do Sindicato Rural de Augustinópolis e mais quatro pessoas sofrem ataques em rede social

segunda-feira, 6 de abril de 2020 às 18:36
Advogada Cassia Cayres, presidente do Sindicato Rural de Augustinópolis. – Foto: Paulo Palmares/ VB

AUGUSTINÓPOLIS –  Uma mensagem de origem desconhecida começou a se espalhar pelos grupos de redes sociais e aplicativos de mensagens de diversos moradores de Augustinópolis na tarde desta segunda-feira (06). O texto em questão apontava a formação de uma suposta quadrilha especializado no roubo de gado na região do Bico do Papagaio. Pelo menos cinco moradores de Augustinópolis foram acusadas por meio da mensagem anônima: a presidente do Sindicato Rural de Augustinópolis, advogada Cassia Cayres, assim como seu marido, Isaias Holanda, seu irmão Isaque Holanda, o pecuarista Hugo Rocha e o vaqueiro conhecido com Breu.

Cassia Cayres chamou de calúnia e afirmou que não há fundamento nas postagens, as quais foram reencaminhadas por várias pessoas, indiscriminadamente, nos grupos de redes sociais. “Me sinto tranquila, pois sempre agi com honestidade; por outro, lado fico profundamente triste em saber até onde vai a maldade gratuita de pessoas de má fé, ao caluniarem contra várias pessoas que sabemos da boa índole”, disse a advogada ao portal Voz do Bico.

Publicidade

Cassia disse ainda que foi feito um Boletim de Ocorrência (BO) e que irá requisitar juridicamente um rastreamento da Fake News até sua origem. “Vamos buscar as medidas judiciais cabíveis para responsabilizar tanto o criador quanto os divulgadores do texto calunioso”, disse.

Outro ponto que preocupa a advogada é o último parágrafo do texto que diz: “A sede por justiça e a inércia do Estado em socorrer as vítimas desse bando é que acaba despertando a vontade de praticar justiça com as próprias mãos”. Segundo a advogada “se trata de uma ameaça clara e direta contra mim e todas as pessoas que o texto aponta como membros de uma quadrilha sem apresentar nenhuma prova”, lamentou.

(Redação Voz do Bico)

-- Publicidade --

Comentários no Facebook