Show de Mariozan Rocha e final de Rodeio encerram IV Expoagra neste sábado

sábado, 7 de julho de 2018 às 12:44
0
O painel Debates e Perguntas:Dois Dedos de Prosa, promovido pelo Sebrae. – Foto: Paulo Palmares/ VB

AUGUSTINÓPOLIS – A final do rodeio e os shows do cantor Mariozan Rocha, Railson e Lidiane e da banda Forró D+ encerram, neste sábado (7), a programação da IV Exposição Agropecuária de Augustinópolis (Expoagra). O evento ocorre no Parque de Exposição Dilson Martins desde o dia 1º, quando começou com a tradicional cavalgada.

Durante esta semana de evento, moradores de Augustinópolis e das cidades vizinhas estiveram prestigiando a programação da Expoagra. Os dos destaques da festa foram a  abertura oficial na quinta-feira (5), quando também começou o rodeio, e o concurso que elegeu a Garota Expoagra 2018 e as 1ª e 2ª Rainhas da festa.

O rodeio, narrado por Sidmar Gomes, é sempre um show à parte, com suas provas de montarias, que na maioria das vezes leva o público ao delírio, além do showpirotécnico. Já o palco Parque de Exposição recebeu vários artistas de renome nacional, como Jefferson Moraes, Caviar com Rapadura, e artistas regionais como Fabio Rodolfo e Dênis e Companhia.

Cassia Cayres, presidente do Sindicato Rural, disse que apesar das dificuldades econômicas que o Brasil sofre, e Augustinópolis não é diferente, foi realizado uma festa bonita, de portões abertos pra comunidade na maioria das noites, contando com uma importante parcerias, como a Prefeitura de Augustinópolis, Federação da Agricultura do Estado do Tocantins (FAET), expositores e outros colaboradores.

Painel 

Dois dedos de proza com Omar Rennemann. – Foto: Paulo Palmares/ VB

O painel Debates e Perguntas:Dois Dedos de Prosa, promovido pelo Sebrae, com os produtores Alcir Bernardino e Elizabeth Costa, mediado pelo superintende e palestrante Omar Rennemann, levou para os produtores e outras pessoas presentes um leque experiência vivida por ambos na região do Bico do Papagaio. Costa, por ser mulher, em um ambiente tido ainda como machista, e Bernardino por apostar em um negócio que não conhecia, por ser de outra região e por um bom tempo não está vivenciando o dia-a-dia da propriedade.

Hennemann, em uma de suas intervenções, destacou a emotividade com que cada um abordou suas histórias e, em outra circunstância falou da necessidade de se implementar novas tecnologias no campo.

-- Publicidade --
-- Publicidade --

Comentários no Facebook