Vandelei Arruda assume Prefeitura de Augustinópolis e deve mudar primeiro escalão do governo

quinta-feira, 14 de março de 2019 às 09:47
Foto: Paulo Palmares / VB

Redação Voz do Bico

AUGUSTINÓPOLIS – Depois de ser empossado como prefeito na Câmara Municipal na noite dessa quarta-feira (13), Vanderlei Arruda iniciou na manhã desta quinta-feira (14) os trabalhos na Prefeitura de Augustinópolis. Ao chegar logo cedo, ele foi recebido por funcionários e participou de um breve momento religioso na entrada do prédio. Boa parte dos vereadores acompanharam o novo prefeito, que tomou posse após cassação do mandato de Júlio Oliveira.

Após o momento religioso, Vanderlei Arruda apenas cumprimentou os presentes e não fez discurso. Ele se dirigiu ao gabinete do prefeito para outro momento de oração. Agora pela manhã, Vanderlei deve realizar as primeiras reuniões para definir os primeiros passos da administração municipal a partir de agora. Mudanças no primeiro escalão do governo municipal não estão descartadas.

Vanderlei Arruda assume o município em meio a uma crise política desencadeada após a Operação Perfídia, que afastou 10 dos 11 vereadores da cidade por suposto esquema de cobrança de propina para aprovar projetos do Executivo. Foi a partir dessa operação que os vereadores que assumiram a Câmara Municipal receberam denúncia contra o prefeito e resolveram cassar o mandato dele nessa quarta-feira (13).

Entenda o caso

A Câmara Municipal de Augustinópolis aceitou, por unanimidade, a denúncia contra o prefeito Júlio Oliveira por infração política-administrativa. A denúncia foi protocolada na secretaria da Casa de Leis no dia 28 de janeiro. Após aprovação do plenário, a denúncia foi encaminhada à Comissão de Justiça e Redação para análise do caso.

A denúncia se baseia na Operação Perfídia, que investigou a cobrança de propina por 10 vereadores para aprovação de projetos do Executivo. Os dez parlamentares foram presos temporariamente por cinco dias e afastados das funções públicas por 180 dias. Conforme a denúncia, o prefeito teria cometido infração político-administrativa ao pagar os vereadores e, por isso, foi pedido a cassação de Júlio Oliveira.

O processo do prefeito transcorreu à revelia, ou seja, o gestor teria sido notificado e não compareceu, assim também como não apresentou defesa prévia, após citação. A Câmara Municipal então nomeou o advogado Antônio Francisco de Lima para atuar como defensor do prefeito.

Na noite dessa quarta-feira, por unanimidade, os vereadores de Augustinópolis cassaram o mandato do prefeito Júlio Oliveira Eles aprovaram o relatório da Comissão Processante, que julgou procedente a acusação de infração política-administrativa cometida pelo prefeito e cassaram o mandato dele.

-- Publicidade --

Comentários no Facebook