César Halum, Ridoval Darci e Renato de Assunção são empossados como secretários estaduais

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019 às 09:38
Foto: Ademir dos Anjos / Governo do Tocantins

PALMAS – O governador Mauro Carlesse deu posse aos novos secretários que passam a integrar a gestão a partir de agora. Foram empossados César Halum (Secretário da Agricultura, Pecuária e Aquicultura), Ridoval Darci Chiareloto (Secretário da Indústria Comércio e Serviços), Renato de Assunção (Secretário de Infraestrutura, Cidades e Habitação) e Adilson Wiseman Barros de Lyra (Tom Lyra) como presidente da Agência do Desenvolvimento do Turismo, Cultura e Economia Criativa (Adetuc). Os demais secretários e presidentes de autarquias permanecem na equipe de Governo.

Durante a reunião para posse dos novos secretários no Palácio Araguaia, Mauro Carlesse destacou a reforma administrativa e as metas a serem alcançadas de maneira global pela gestão. O governador determinou o empenho de cada secretário no cumprimento do plano de metas, para que o Estado alcance e mantenha o equilíbrio fiscal e se enquadre na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Publicidade

“Nossa meta é recuperar a capacidade de investimento, para que o Estado possa fazer as obras e as ações que melhorem a vida das pessoas. Nossa população não pode esperar mais, precisa de ações rápidas que melhorem os serviços de saúde, segurança e educação. E mais, precisamos gerar empregos para que os pais de famílias deem a dignidade que sonham para suas famílias”, afirmou o Governador.

As principais metas apresentadas foram: redução do tamanho do Governo; redução das despesas de custeio em 30%; redução imediata de 11% do total da folha de pagamento, que foi limitada ao máximo de R$ 300 milhões/mês/bruta; enquadrar o Estado na letra B da Secretaria do Tesouro Nacional em 2019; transformar o papel do Estado de “provedor” de empregos para fomentador de empregos; e acabar com a burocracia funcional.

Para alcançar a meta principal de redução de gastos de R$ 496 milhões por ano com despesas de pessoal e de custeio, já na publicação da nova estrutura administrativa foram previstas a extinção de 30% do total de cargos em comissão e 50% dos contratos temporários.

“Cada secretário ou presidente de autarquia será responsável por encaminhar a prévia da folha de pagamento e as despesas de custeio até o dia 15 de cada mês. Todas essas despesas deverão obedecer ao limite estabelecido para cada pasta. O limite máximo da folha de pagamento será R$ 300 milhões, mas não significa que precisará chegar a esse número”, afirmou o secretário da Fazenda e Planejamento, Sandro Armando. (Redação Voz do Bico, com informações da Assessoria)

-- Publicidade --