Augustinópolis: Ataque de pit bull contra criança levanta discussão sobre o uso de focinheira pelo animal em locais públicos

sexta-feira, 5 de agosto de 2022 às 12:12
106 Visualizações
A criança de 10 anos foi ataca nas costas pelo pit bull. – Foto: Divulgação

AUGUSTINÓPOLIS – Uma criança de 10 anos foi atacada por um cachorro da raça Pit bull, na tarde desta quinta-feira, 04, no bairro Três Poderes em Augustinópolis, o ataque aconteceu enquanto uma mulher passeava com o animal. Vizinhos ficaram apavorados com a situação na qual a mulher não consegui conter o cachorro no momento do ataque. Segundo relatos de augustinopolinos em um grupo de mensagem, “não é o primeiro caso de ataque de cachorro de grande porte contra pedestres no município”.

A criança ao ser atacada caiu no chão em seguida consegui se levantar e sair correndo. Vizinhos contam que ficaram apavorados ao presenciarem o ataque. “Nosso setor tem muitas crianças que gostam de ficar brincando na porta de casa, queremos mais segurança e pedimos aos donos de animais que tenha mais cuidados e segurança, que procurem um local adequado para seus passeios”, comentou a vizinha.

Ferimento profundo causando pelo cachorro da raça pit bull. – Foto: Divulgação
Publicidade

Eu choro só de pensar na cena, imaginando o que poderia ter acontecido, caso meu filho não conseguisse fugir e dona não conter seu cão”, disse indignada a mãe da criança de 10 anos.

Em um grupo de WhatsApp alguns moradores relataram já ter presenciado casos de má condução do animal e de ataque de cachorro da raça Chow-chow contra outro perdeste no setor mercado. Os comentários são tanto na falta de focinheira quanto a quem passeia com o animal de grande porte sem qualquer tipo de preparo.

“Eu sempre ando nas ruas e quando vejo um Pit bull, comento: Cara, se esse cachorro se estressar um pouco, nunca que essa criança/adolescente, consegue segurar esse cachorro. Já vi vários adolescentes com esses cachorros andando de boa na rua”, indagou um morador augustinopolino.

Outro morador comentou, “já tem uns 3 anos, fui levar meu filho pra brincar na pista de skate do Mercado Municipal e chegando lá tinha vários rapazes com seus cachorros pit bull totalmente sem focinheira e alguns estavam ate soltos, por segurança e receio eu voltei pra casa”, disse ao ver o caso.

Ao contrário do que muitos imaginam, a focinheira não machuca o cão e nem atrapalha sua desenvoltura durante os passeios, desde que seja do tamanho correto para cada porte, explica o médico veterinário Romullo Campos/CRMV-TO 1463.

Segundo a Lei nº11.531, de 11 de novembro de 2003, algumas raças específicas de cachorros precisam fazer o uso obrigatório da focinheira.

(Redação Voz do Bico – com informações Portal Geiza)

-- Publicidade --