Empresários tocantinenses apontam necessidade de melhorias na oferta de crédito, diz pesquisa

sexta-feira, 12 de abril de 2019 às 10:27
46 Visualizações
A pesquisa foi realizada ainda em 2018. Foto: Divulgação 

PALMAS – As dificuldades enfrentadas, principalmente por micro e pequenas empresários, para obtenção de crédito são o assunto da pesquisa Acesso aos Serviços Financeiros divulgada nesta sexta-feira (12), pela Federação das Indústrias do Estado do Tocantins (FIETO). Um dos aspectos observados é que mais da metade das empresas tocantinenses ouvidas (59%) declararam necessitar de financiamento para expandir os negócios.

Dos que declaram necessitar de financiamento, 84% procuraram as instituições financeiras em 2018 para tentar obter o crédito, mas apenas 53% conseguiram. No entanto, somente 54% das empresas que obtiveram crédito foram contempladas na medida de suas necessidades.

Publicidade

Ainda que dois terços das propostas de obtenção de crédito tenham sido endereçadas a bancos públicos, os respondentes da pesquisa classificam o acesso ao financiamento bancário como difícil a muito difícil. São poucas as empresas que não tiveram dificuldade na contratação do crédito, apenas 18% do total. A grande maioria (82%) enfrentaram algum tipo de problema, sendo os principais um bom cadastro, com 42% do total, e garantias com 33%.

O documento destaca também que os maiores financiadores da indústria tocantinense são os bancos públicos e privados, seguidos da Agência de Fomento do Tocantins e cooperativas de crédito. Das indústrias tomadoras de créditos, 86% são de micro e pequeno porte com empréstimos que variam entre R$ 10 mil a R$ 1 milhão.

Sobre a destinação do crédito, o estudo constatou que 58% foi para capital de giro (despesas correntes e aquisição de matéria-prima) e 30% para investimento (compra de máquinas, equipamentos, ampliação e modernização).

Os problemas para a obtenção de crédito aparecem em pesquisas da Fieto desde 2007, quando foi iniciada a publicação Sondagem Industrial, de acordo com a gerente da Unidade de Desenvolvimento Industrial, Amanda Barbosa. “O acesso ao crédito é um gargalo recorrente apontado pelos empresários tocantinenses. Essa demanda nos motivou a implantar um atendimento específico sobre este tema para atuar nesta demanda do segmento industrial e aproximar o empresário das instituições financeiras para, assim, minimizar os problemas evidenciados na pesquisa”, explica. (Divulgação / Assessoria Fieto)

-- Publicidade --