Com investimentos em Saúde, Governo descentraliza serviços de alta complexidade em ortopedia no Maranhão

segunda-feira, 8 de novembro de 2021 às 17:54
Foto: Divulgação/SES

“Fiz um procedimento cirúrgico no Hospital Regional de Grajaú, por conta de traumatismos múltiplos no ombro. O atendimento que eu recebi foi excelente e posso afirmar que os serviços do SUS estão 100%, pois poder realizar uma cirurgia com essa magnitude na minha própria cidade não tem preço”. O depoimento é do administrador de empresas Rones de Sousa Silva, de 40 anos, que por conta do procedimento cirúrgico, precisou ficar dez dias internado na unidade da Rede Estadual de Saúde.

Assim como o Hospital Regional de Grajaú, outras unidades da rede também já oferecem serviço de alta complexidade em ortopedia no estado Maranhão, descentralização realizada pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), para garantir o maior acesso dos usuários aos serviços ortopédicos oferecidos pelo Sistema Único de Saúde – SUS.

Publicidade

De acordo com o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, a descentralização do serviço de ortopedia foi de extrema importância, principalmente no retorno dos atendimentos pós-Covid.

“Com a diminuição dos casos de Covid-19, já esperávamos o aumento do número de traumas, visto que a mobilidade aumenta e, infelizmente, os acidentes. A estratégia que montamos foi a descentralização dos serviços de ortopedia, ação que evitou muitas transferências para a capital. Dessa forma, seguimos assistindo os maranhenses em suas regiões de residência e mantemos a expansão de serviços de média e alta complexidade no estado”, ressalta o secretário.

Além do Hospital De Traumatologia e Ortopedia (HTO), em São Luís, e do Hospital Regional de Grajaú, os serviços de alta complexidade em ortopedia, também são oferecidos no Hospital Regional de Chapadinha; Hospital Regional de Peritoró; Hospital Regional de Presidente Dutra; Hospital Regional de Caxias Dr. Everaldo Ferreira Aragão; Hospital Macrorregional de Imperatriz Drª Ruth Noleto; Hospital Regional da Baixada Maranhense Dr. Jackson Lago, em Pinheiro; Hospital Macrorregional Tomás Martins, em Santa Inês; Hospital Regional Dr. Antônio Hadad, em Viana; e Hospital Macrorregional de Coroatá, beneficiando milhares de maranhenses.

Para fortalecer os serviços de ortopedia oferecidos no interior, o superintendente de Acompanhamento da Rede de Serviços da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Candilberto Filho, explica que foi realizada a aquisição de equipamentos de raios-x chamado arco cirúrgico, no qual é possível produzir imagens em tempo real com até milhares de tons cinza através de geração de imagens digitais.

“Essas unidades foram reforçadas com esses equipamentos e, atrelado a isso, fortalecemos a dispensação de órteses, próteses e meios auxiliares de locomoção, as chamadas OPM. As cirurgias de alta complexidade para fraturas e traumas ortopédicos puderam então ser feitas nessas unidades”, detalha o superintendente.

(ASCOM GOV. MARANHÃO)

-- Publicidade --