Nada de bolo gigante ou memes: sem programação tradicional, Imperatriz comemora 168 anos

quinta-feira, 16 de julho de 2020 às 10:07
44 Visualizações
Em vez do corte de 168 metros de bolo, 168 unidades foram distribuídas. Honraria que homenageia personalidades este ano reconhece profissionais da saúde no combate à Covid-19. – Foto: Reprodução

Não fosse a pandemia, logo no amanhecer desta quinta-feira (16) uma alvorada de fogos já teria acordado milhares de imperatrizenses e a tradicional Corrida 16 de Julho, que ano a ano batia recorde no número de inscritos, já teria disparado o 1º lugar entre os corredores. Mas nada disso aconteceu hoje, no aniversário de 168 anos de Imperatriz.

Para evitar  aglomerações, foi preciso cancelar todas as atividades que, a cada aniversário, eram apresentadas de maneiras renovadas sempre.

Tradição de aglomerar

Publicidade

Há mais de duas décadas, a programação contava com pelo menos cinco eventos com grande potencial de aglomeração: a corrida; a missa e o culto; o corte do bolo gigante; as condecorações com a presença dos homenageados, seus familiares e convidados; além do grande show noturno, na Avenida Beira Rio, com artistas locais e atrações nacionais. Por força de decreto municipal, os eventos públicos e com aglomerações continuam suspensos.

Este ano, em vez do tradicional e famoso corte do bolo que ganharia um metro a mais para ser distribuído em grande festa popular, em frente à sede da prefeitura, foram produzidas 168 pequenos bolos. Uma parte começou a ser distribuída ontem (15) à noite para os 100 primeiros participantes da live Eterna Gratidão e outras 68 unidades ficaram reservadas para ser entregues em abrigos e instituições sociais. Foram contratados nove motoboys para a entrega dos bolos na modalidade delivery.

O tradicional bolo quilométrico teve que ser substituído este ano por conta da pandemia

Como parte da programação de aniversário, a honraria Eterna Gratidão, que é entregue a 13 personalidades da cidade em reconhecimento aos serviços prestados, este ano teve entre os escolhidos profissionais que trabalham diretamente no enfrentamento à Covid-19, com destaque também a profissionais da saúde vitimados pela doença.

“Embora tenhamos muitos avanços a comemorar na saúde, educação e segurança, ficamos reflexivos com os estragos provocados pela pandemia em nossas vidas. Nesta data, em especial, prestamos as nossas mais sinceras homenagens a todos que perderam suas vidas”, disse o prefeito Assis Ramos.

Mesmo sendo feriado municipal, hoje a abertura do comércio em Imperatriz é facultativa. O Governo Federal permitiu que as empresas com banco de horas contabilizem as horas não trabalhadas na pandemia, em feriados, em consenso com os sindicatos.

Imperatriz – 168 anos

A segunda maior cidade do estado comemora 168 anos

Historicamente, Imperatriz foi abrigo de povos indígenas até a chegada da comitiva de Frei Manoel Procópio, considerado o fundador da cidade, ao sudoeste maranhense. Banhada pelo rio Tocantins e situada na divisa com o estado do Tocantins, é o segundo maior centro populacional (cerca de 258 mil habitantes, segundo o IBGE), econômico, político e cultural do Maranhão.

Assume status de capital quando referenciada para dezenas de municípios da Região Tocantina, seja na saúde, prestação de serviços ou como polo universitário, entre outros destaques. Imperatriz tem, ainda, o segundo maior Produto Interno Bruto (PIB) do Maranhão, atrás da capital São Luís.

(O IMPARCIAL)

-- Publicidade --