Meteoro ilumina o céu do Pará; assista

quinta-feira, 30 de dezembro de 2021 às 16:46
26 Visualizações
Meteoro ilumina o céu do Pará. – Foto: Divulgação

Um grande clarão foi visto neste domingo (26) no céu de várias cidades do Estado do Pará. O fenômeno foi registrado por câmeras de vigilância e foi seguido por um forte estrondo, sentido principalmente no município de Porto de Moz, na região do Baixo Amazonas. Segundo a BRAMON, a Rede Brasileira de Observação de Meteoros, o clarão e o estrondo foram gerados por um bólido, que nada mais é do que um meteoro muito brilhante. A explicação foi dada após a análise de imagens do Clima ao Vivo que registraram o fenômeno. Confira o vídeo:

Publicidade

O clarão gerado pelo meteoro também foi detectado do espaço, através do instrumento de detecção de relâmpagos do satélite GOES-16, que opera a mais de 35 mil quilômetros de altitude.

Clarão do meteoro detectado pelo Satélite GOES-16 – Créditos: CIRA / RAMMB / NOAA

Qual a diferença entre meteoros e meteoritos?

O meteoro é um fenômeno luminoso provocado pela passagem de um fragmento de rocha espacial por nossa atmosfera. Como esses objetos viajam no espaço a velocidades muito elevadas, quando atingem nossa atmosfera eles comprimem e aquecem o ar à sua frente, e isso faz com que eles brilhem intensamente.

O calor gerado durante a passagem atmosférica geralmente vaporiza os pequenos fragmentos de rocha que nos atingem. Mas quando o objeto é maior, ele atinge as camadas mais baixas e densas da atmosfera. Além de gerar um brilho bem mais intenso, isso pode provocar uma onda de choque que é sentida em solo como o barulho de um trovão ou explosão.

Nesses casos, há uma grande possibilidade que parte da rocha espacial tenha resistido à passagem atmosférica e tenha chegado ao solo, gerando o que chamamos de meteoritos.

Esse parece ser o caso do bólido de Porto de Moz, registrado por câmeras do Clima ao Vivo e também por outras câmeras de segurança na região. A BRAMON está trabalhando na determinação da trajetória exata do meteoro e também na área de dispersão dos possíveis meteoritos, mas ao que tudo indica, o meteoro teve uma trajetória de nordeste para sudoeste, se extinguindo no limite entre os municípios de Porto de Moz e Altamira.

(OLHAR DIGITAL)

-- Publicidade --