Delator afirma que nada foi pago para Amastha, Prefeito de Palmas

quarta-feira, 19 de abril de 2017 às 10:47
24 Visualizações

Segundo o delator, Fernando Cunha Reis, o prefeito de Palmas, Carlos Amastha, não recebeu qualquer contribuição da Odebrecht. A Odebrechet, que havia comprado a empresa concessionária de água no estado, e chegou afazer um plano de investimentos na ordem de R$ 700 milhões de reais, encontrou dificuldades ao tentar negociar com Amastha.

Publicidade

Fernando diz vários políticos tradicionais no Tocantins, como o então governador José Wilson Siqueira Campos e a Senadora Katia Abreu, se posicionaram contrários à Amastha, por ele estar dificultando a atuação da empresa no estado.

Amastha teria então firmado um acordo formal com a Odebrecht no Tocantins, solicitando que a empresa, em contra partida à sua atuação no estado, realizasse obras em benefício da cidade, como a construção de redes de esgoto e saneamento e calçadas.

Pagamento a Amastha

O delator foi categórico ao afirmar que não pagou nada a Amastha: “Não pagou absolutamente nada a ele (Carlos Amastha), ao contrário, paralisaram os investimentos e isso mobilizou a comunidade política do Estado contra o Prefeito de Palmas”, afirmando que vários atores do Tocantins ajudaram muito a empresa, positivamente, no sentido de criticar o Prefeito de Palmas.

Acordo com a Prefeitura

De todo esse episódio, foi gerado um acordo com a Prefeitura de Palmas onde a empresa se comprometeu em fazer algumas melhorias para a Cidade, ao se referir ao acordo com a Prefeitura de Palmas, Fernando Reis diz: “É isso que a gente gosta de fazer”, dando a entender que a empresa ficou contente com os termos do contrato e que o recurso que provavelmente iria para as mãos de alguns políticos, seria investido na Cidade, enfatizando que após o acordo retomaram as atividades normalmente na Cidade.

No acordo, além da contrapartida em melhorias para a Cidade o Prefeito Carlos Amastha exigiu que a empresa mudasse todo seu plano de investimentos, o que transformou Palmas, poucos anos depois na primeira capital do Brasil que universalizou o sistema de tratamento e coleta de esgotos.

Contra o Prefeito

Questionado durante a delação sobre de quem eram os atores que agiram a favor da Empresa, Fernando aponta o próprio Governador Siqueira Campos, que apoiou muito, a Senador Kátia Abreu e o Senador Vicentinho.

Além dos principais políticos do Estado, Fernando aponta também que outros Vereadores, Deputados Estaduais e Federais ajudaram, mas não se recorda dos nomes.

Cobrança

De acordo com o Delator, o apoio dos parlamentares e do Governador foram, a princípio, gratuito, mas afirma que depois vieram os inúmeros pedidos para contribuições para as eleições de 2014. Foram feitas diversas doações como forma de compensar o apoio recebido no embate com a Prefeitura.

Citando doações a Senadora Katia Abreu, ao Governador em exercício Sandoval Cardoso e a Marcelo Miranda, atual Governador.

Veja o vídeo na íntegra

-- Publicidade --