Governo do Tocantins lança Rede Integrada para unificar ações das gestões estaduais e municipais para o enfrentamento da violência contra a mulher

sexta-feira, 12 de abril de 2024 às 15:35
1.070 Visualizações

TOCANTINS – O Governo do Tocantins, por meio da Secretaria de Segurança Pública, lançou nesta sexta-feira, 12, o programa Rede Integrada de Proteção à Mulher. O objetivo é unificar as ações e projetos das Secretarias de Estado com as gestões municipais e comunidade, de maneira a construir uma rede integrada para o enfrentamento da violência contra a mulher.

Representando o governador Wanderlei Barbosa, a primeira-dama e secretária extraordinária de Participações Sociais, Karynne Sotero, fez questão de parabenizar a SSP/TO pela construção do projeto. “Fico feliz em saber que esse projeto tem um homem à frente, parabéns ao secretário Wlademir e a toda sua equipe pela condução dessa política de grande importância. Temos que continuar trabalhando fortemente para a proteção das mulheres,  não podemos banalizar a violência, a morte e tenho certeza que logo colheremos excelentes frutos dessa ação. Este Governo é sensível a essa causa e tudo o que pudermos fazer para mudar esse cenário será feito”, destacou.

Publicidade

Durante o lançamento, o secretário da Segurança Pública do Tocantins, Wlademir Mota Oliveira, explicou que devem ser desenvolvidas políticas públicas amplas, de acordo com a realidade de cada município, bem como deve ser fortalecida a participação social.

“Vamos fortalecer a participação nas políticas inclusivas e desenvolvidas pela Secretaria da Segurança Pública e Secretaria da Mulher e promover a adesão das prefeituras à rede, por meio da celebração de termos de cooperação técnica. Esse programa vai promover o intercâmbio de informações com indicadores estratégicos dos municípios, como assistência social, saúde e segurança pública, e fortalecendo as ferramentas de combate à violência”, explicou o secretário.

O programa ainda prevê estimular as delegacias especializadas de atendimento à mulher a desenvolverem ações integradas com os municípios e a sociedade civil visando fortalecer as políticas de proteção e o processo de governança da rede por meio da criação de ferramentas de monitoramento e avaliação de metas.

A secretária de Estado da Mulher, Berenice Barbosa, lembrou que a responsabilidade pela proteção das mulheres é de todos. “É uma grande alegria poder efetivar essa parceria e fazer com que essa rede funcione de verdade. Uma pesquisa recente aponta que o Tocantins é o segundo estado que mais mata mulher, então esse é um momento de união e de investimento em políticas públicas que façam a diferença na vida das mulheres nos 139 municípios do Estado”, alertou a secretária.

Também fizeram questão de destacar a importância da rede de proteção, a deputada estadual Claudia Lelis e a coordenadora do Núcleo Especializado de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher (Nudem), defensora pública Pollyana Lopes Assunção.

Investimentos 

Dentre os investimentos no programa estão a cessão de veículos que possibilitem mobilização adequada aos profissionais envolvidos na Rede e que garantam o desempenho e a efetivação de segurança e assistência às mulheres.

O deputado federal Carlos Gaguim, que destinou R$ 20 milhões em emendas para o projeto, afirmou que o Estado já é destaque no Brasil, saindo à frente com esse modelo de rede integrada.  “Esse projeto é o primeiro programa integrado em defesa da mulher e ele está saindo daqui. São recursos que coloquei e que a deputada Dorinha, por meio da bancada, se esforçou para manter e hoje comemoramos esse resultado. Fui convidado para estar com a ministra da Mulher, em Brasília, mas disse que não poderia  ir sem a presença do secretário, do governador, da Dorinha para que nossos objetivos sejam alcançados por muitas mãos”, informou.

A senadora Dorinha Seabra, que, enquanto deputada, era coordenadora da Bancada Federal, explicou que o recurso foi destinado à aquisição de 64 caminhonetes. “Essas caminhonetes vão para municípios conforme os dados e as polícias também vão receber. Mas queremos mais, vamos buscar o Ministério da Justiça para conseguir outras porque essas foram adquiridas por meio da bancada. Parabéns ao secretário e a equipe que pensou nesse programa e em seu funcionamento”, disse.

A Rede ainda prevê investimento em equipamentos de Tecnologia da Informação e a formação continuada para os integrantes com vistas a uma maior efetividade às ações desenvolvidas.

Resultados 

Dentre os resultados esperados com a implantação da rede estão o fortalecimento de operações conjuntas; implementação de ações inovadoras; estratégias assertivas, por meio do trabalho integrado entre as Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher.

Também espera-se a ampliação qualitativa e quantitativa dos serviços de segurança pública prestados à população em razão de uma rede com grande capilaridade e potencial de integração, bem como a promoção de uma mudança cultural em relação à importância da atuação conjunta entre poder público e sociedade civil.

(SECOM-TO)

-- Publicidade --

Comentários no Facebook