Justiça proíbe Mauro Carlesse de usar imagens internas de hospital em propaganda eleitoral

quarta-feira, 13 de junho de 2018 às 10:17
Divulgação

PALMAS – A Justiça Eleitoral proibiu o governador interino e candidato na eleição suplementar, Mauro Carlesse (PHS), de seguir usando imagens internas de hospitais na propaganda eleitoral gratuita. Além disso, a utilização do nome do programa “Opera Tocantins” também está vedada. Para a Justiça Eleitoral, ambas utilizações são ilegais e vedadas pela legislação eleitoral.

Embora a ação que atacou a ilegalidade tenha sido contra propaganda televisiva, a decisão é estendida a todas as formas de propaganda eleitoral. Nessa terça-feira (12), Carlesse usou imagens internas do Hospital Geral de Palmas, inclusive salas de internação e cirurgia, nas duas propagandas de blocos. Além disso, a promoção política através do programa governamental “Opera Tocantins” foi utilizada.

Na decisão judicial liminar, o juiz Márcio Gonçalves, destacou a enorme vantagem de Carlesse em poder fazer imagens que o seu adversário, Vicentinho Alves (PR), não poderia fazer. “No caso em tela, em se tratando de propaganda eleitoral do atual governador interino e candidato, a captação e veiculação de imagens transborda os limites da normalidade, pois foi demonstrada a desigualdade de oportunidades, pois as mesmas imagens não poderiam ser obtidas pelo outro candidato, pois foram realizadas em áreas de acesso restrito”, frisa.

Após as notificações, caso imagens internas voltem a ser exibidas na televisão a multa para a emissora será de R$ 10 mil e de R$ 50 mil para Mauro Carlesse. A decisão do TRE-TO atendeu pedido da coligação É a Vez dos Tocantinenses, encabeçada por Vicentinho Alves.

-- Publicidade --
-- Publicidade --

Comentários no Facebook