Secretário da Infraestrutura vistoria obras e destaca investimentos da gestão Carlesse

quinta-feira, 20 de setembro de 2018 às 16:32
Foto: Divulgação

ARAGUAÍNA – O secretário de Estado das Cidades e Infraestrutura, Claudinei Quaresmin, esteve nessa quinta-feira (20), em Araguaína, onde visitou as obras do novo Fórum da Justiça e também da cratera na TO-222, no perímetro urbano, ambas executadas pelo governo do Estado.

A agenda em Araguaína começou nas obras do novo Fórum do município, que tem área construída de 10.596,58 m² e está com 93% das obras concluídas. O prédio está orçado em R$ 34,5 milhões e os recursos são oriundos do Pró-Estado/Banco do Brasil.

Publicidade

As novas instalações contam com quatro pavimentos e vão disponibilizar auditório para 196 pessoas, Tribunal de Júri para 238 pessoas, biblioteca, espaço saúde, espaço para bancos, restaurante e lanchonete, de convivência, cartórios, sala para OAB, Defensoria (DPE) e Ministério Público (MPE), além de cinco elevadores. O local será entregue até meados de novembro.

“Este prédio vai dar melhores condições de trabalho para a Justiça estadual, além de facilitar o acesso do cidadão aos seus direitos”, disse Claudinei, que estava acompanhado do juiz Deusamar Alves Bezerra, representando o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Eurípedes do Carmo Lamounier.

Ao seguir para a cratera na TO-222, no perímetro urbano de Araguaína, Claudinei lembrou que a obra iniciada na gestão de Mauro Carlesse era uma demanda antiga da população do município. “É um lugar que causa acidentes e que traz insegurança para os moradores que moram nas proximidades. Nossa previsão é que esta obra seja concluída em até 120 dias, colocando fim a este longo período de espera das pessoas que moram e passam por este local”, afirmo.

O buraco na TO-222, também conhecido como “cratera do Detran”, fica na saída para Filadélfia e Babaçulândia. Está localizada às margens do córrego Baixa Funda, que faz parte da bacia do Rio Lontra, um dos principais de Araguaína. De acordo com a Agência de Transportes e Obras (Ageto), estão sendo investidos recursos da ordem de R$ 4 milhões. O problema se arrastava desde o ano de 2012.

-- Publicidade --