Praia Norte: alunos realizam ato pedindo o fim da violência contra a mulher

sexta-feira, 23 de Março de 2018 às 12:56
Alunos e professora, Sonia Maria de Jesus durante a caminhada em manifestação pelo fim da violência contra as mulheres. – Foto: Paulo Palmares/ VB

PRAIA NORTE – Como culminância do trabalho realizado em sala de aula, na disciplina de Sociologia, e em alusão ao mês dedicado a alertar a população para a violência contra a mulher, alunos do Ensino Médio da Escola Estadual Genésio Gomes, em Praia Norte, realizaram um ato público nesta sexta-feira (23) nas ruas da cidade.

Conforme a professora da disciplina de Sociologia, Sonia Maria de Jesus, o evento foi realizado depois das várias discussões em sala de aula sobre o tema. Durante as aulas foram apresentados aos alunos diversos materiais audiovisuais sobre a violência contra a mulher em vários níveis e aspectos. Ainda de acordo com a professora, o trabalho também tematizou a morte da vereadora Marille, no Rio de Janeiro.

“Foi a partir daí que pensamos em uma manifestação que pudesse reunir todos os trabalhos realizados nas disciplinas de Humanas, com o apoio das demais áreas, para mostrar como o assunto é debatido na escola. O lema é: Todas e Todos contra a violência conta a mulher”, destacou a professora.

Foto: Paulo Palmares/ VB

O ato reuniu alunos e professores da escola e se iniciou em frente à prefeitura da cidade. Mesmo com uma leve chuva, os alunos percorreram as principais ruas da cidade alertando a população para os diversos tipos de violência contra a mulher e como combater esse tipo de crime.

“Alguns homens ainda olham para as mulheres como se fossem propriedade deles. Temos que ter um novo olhar para estas que são nossas mães, irmãs, filhas. Nenhum de nós queremos uma ente querida estendida na sala dentro de um caixão”, afirmou o professor Francivaldo Mota, lembrando que, no caso da vereadora Marielle, a Justiça deve ser implacável.

Segundo a professora Sonia Maria, um dos objetivos do ato público também foi mostrar que a mulher não é um ser inferior e precisa ser respeitada. “A violência contra a mulher não justificativa, é pura e simples covardia praticada por alguns membros da nossa sociedade que ainda nos veem como um ser inferior. Precisamos combater isso”, finalizou.

-- Publicidade --
-- Publicidade --

Comentários no Facebook