Prefeitos do Bico e Ministério Público tentam abrir UPA de Augustinópolis para receber casos de Covid-19

sexta-feira, 3 de abril de 2020 às 14:59
Unidade de Pronto Atendimento de Augustinópolis. Foto: Renato Morais/VB.

AUGUSTINÓPOLIS – Representantes de seis municípios do Bico do Papagaio reuniram-se na última quinta-feira, 2, com o promotor de Justiça Dr. Paulo Sérgio, para discutir a abertura da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Augustinópolis.

A reunião foi convocada pelo promotor e aconteceu na sala de audiências da Promotoria Pública de Augustinópolis. O Dr. Paulo Sérgio informou aos presentes que o Ministério Público, comprometido com a prevenção e o possível combate à Covid-19 na região, vê a importância da abertura da UPA o quanto antes, para receber pacientes que eventualmente vierem a ser acometidos pela doença.

Publicidade

Assim, foi discutida a possibilidade de que as prefeituras mencionadas prestem o apoio necessário ao funcionamento da Unidade. Cada prefeito manifestou-se favorável à proposta.

Representando o município de Augustinópolis, compareceram o prefeito Júlio Oliveira e o secretário municipal de Saúde, Gedeão Filho; de Carrasco Bonito, o Prefeito Carlos Alberto e os secretários de Administração José Marques e de Saúde Inácio da Conceição.

Estiveram presentes ainda os prefeitos Adriano, de São Sebastião; Armando, de Esperantina; Armino, de Sampaio; representes da Prefeitura de Praia Norte, auxiliares do Ministério Público e a diretora administrativa do Hospital Regional de Augustinópolis, Deijacy Bezerra de Oliveira.

O prefeito Júlio Oliveira explicou ao Portal Voz do Bico que a preocupação neste momento é ter um local onde os casos suspeitos de Covid-19 na região sejam recebidos de forma separada, para evitar a transmissão da doença a outros pacientes, caso eles fossem atendidos no Hospital Regional de Augustinópolis, por exemplo.

O gestor ainda afirmou que, junto com os outros prefeitos, está disposto a colocar a UPA para funcionar. A intenção é manter o atendimento à população na Unidade mesmo após cessar a pandemia de coronavírus.

“A princípio, queremos equipar um local para receber os pacientes de coronavírus, mas depois, vamos ver com o Governo do Estado para dar continuidade aos atendimentos na UPA”, disse.

Por que a UPA ainda não foi aberta

A Unidade já possui instalações e recursos necessários para o início das suas atividades, como já foi explicado pela senadora Kátia Abreu, que destinou R$ 2 milhões.

Porém, o valor máximo estabelecido pela legislação para essa obra é de apenas R$ 40.000. A senadora vem tentando junto ao Ministério da Saúde aumentar essa quantia, para que a UPA possa receber o dinheiro suficiente para funcionar.

(Voz do Bico)

-- Publicidade --