Vereadores de Augustinópolis investigados pela Operação Perfídia serão julgados nesta terça-feira (18)

segunda-feira, 17 de junho de 2019 às 11:31
Os parlamentares foram afastados por 180 dias a pedido do Ministério Público que, junto com a Polícia Civil, deflagrou a Operação Perfídia, em 25 de janeiro. – Foto: Arquivo Voz do Bico

AUGUSTINÓPOLIS – Os dez vereadores afastados das atividades parlamentares em Augustinópolis vão a julgamento na terça-feira (18) às 19h no plenário da Câmara Municipal de Augustinópolis. Os parlamentares foram afastados por 180 dias a pedido do Ministério Público que, junto com a Polícia Civil, deflagrou a Operação Perfídia, em 25 de janeiro, a qual investigava um suposto esquema de corrupção. A sessão será presidida pelo vereador Cícero Moutinho.

O presidente Comissão Processante, Daniel Walison, informou ao Portal Voz do Bico, que os advogados dos vereadores afastado , Cássia Cayres e Fábio Alcântara, foram notificados na manhã desta segunda-feira (17), e devem comparecer à sessão, assim como Gedeon Pitaluga, advogado dos vereadores substitutos.

“Estamos chegando ao fim deste processo, que politicamente falando, foi traumático para a vida política de Augustinópolis. Constitucionalmente estamos exercendo nosso papel como representante desta sociedade e queremos fazer o melhor e reescrever esse episódio constrangedor na história da nossa cidade”, Daniel Walison.

Entenda o caso

Deflagrada pela Polícia Civil e Ministério Público Estadual no dia 25 de janeiro deste ano, a Operação Perfídia investiga a cobrança de propina por parte dos parlamentares para votar projetos do Executivo na Câmara Municipal de Augustinópolis. Segundo as investigações, os vereadores recebiam valores mensais definidos por grau de influência do parlamentar. Para a polícia e MPE, os vereadores Edvan Neves (Neguim da Civil) e Maria Luisa de Jesus (Luizinha) lideravam o esquema.

Foram expedidos 10 mandados de prisão temporária contra vereadores Ângela Maria Silva, Antônio Barbosa, Antônio José Queiroz, Antônio Feitosa, Edvan Neves da Conceição, Francinildo Lopes, Marcos Pereira de Alencar, Maria Luisa de Jesus, Ozeas Gomes e Wagner Mariano Uchôa. Eles ficaram presos por cinco dias na Cadeia Pública de Augustinópolis.

Além de mais 14 mandados de busca e apreensão na Câmara Municipal, prefeitura e nas casas dos vereadores. A Justiça também determinou o afastamento dos 10 vereadores por 180 dias e 10 suplentes assumiram as vagas.

No início de fevereiro, a Polícia Concluiu o inquérito da Operação Perfídia e indicou apenas os 10 vereadores envolvidos no esquema criminoso. O inquérito foi enviado ao Ministério Público Estadual, que no dia 27 de fevereiro propôs denúncia criminal contra 10 vereadores afastados e incluiu na denúncia dois servidores municipais que participavam dos repasses ilegais aos vereadores.

(Redação Voz do Bico)

-- Publicidade --

Comentários no Facebook