A Síndrome do Esgotamento Profissional (Burnout) e a pandemia

quarta-feira, 14 de outubro de 2020 às 16:00
Além das pressões corriqueiras, instabilidade profissional piora quadros de Burnout. Foto: Reprodução.

Com o surgimento e avanço da pandemia do novo coronavírus, as situações e ambientes de trabalho mudaram, e o home office foi adotado por muitas empresas. Esse novo cenário, associado à pressão no trabalho, ambiente inadequado e preocupação com a estabilidade do emprego, pode ser fator responsável pelo desenvolvimento de ansiedade, sentimentos de insatisfação e levar à Síndrome de Burnout. A síndrome é um distúrbio emocional relacionado ao estresse, esgotamento, excessos e situações desgastantes envolvendo a vida profissional.

Segundo a pesquisa The State of Burnout (O estado do Burnout) realizada pela plataforma Blind, 73% dos entrevistados estão exaustos com o trabalho, e os maiores fatores de stress são: preocupações com a estabilidade do emprego, falta de apoio do chefe e falta de equilíbrio entre vida profissional e pessoal.

Publicidade

No Brasil, a Associação Paulista de Medicina realizou uma pesquisa com 1.984 profissionais da saúde sobre os problemas e possíveis consequências do enfrentamento à covid-19. Ansiedade, estresse, sobrecarga de trabalho e exaustão física/emocional foram citados por um número considerável de médicos que estão atuando no combate ao coronavírus. Esses sintomas são comuns à Síndrome de Burnout e, segundo a pesquisa, mais de 50% desses profissionais já estão acometidos por ela.

Os sintomas são: cansaço excessivo, insônia, alterações no apetite, problemas no sistema digestivo, dor de cabeça, dificuldades de concentração, alterações repentinas de humor, sentimentos de incompetência, perda de motivação e até depressão.

Manter ao máximo o equilíbrio entre vida profissional e pessoal, descansar e fazer atividades físicas e exercícios de relaxamento, principalmente nessa nova situação que estamos vivendo, são ações fundamentais para a saúde física e mental.

Caso perceba qualquer sintoma, busque ajuda profissional para obter o diagnóstico e o tratamento correto. Quanto mais cedo buscar ajuda, mais rápido irá solucionar o problema.

(Assessoria Trasmontano Saúde)

-- Publicidade --