Como Ter Autoestima – 10 Dicas Para Fazer Diferença na Sua Vida

terça-feira, 21 de maio de 2019 às 15:46
Foto: Divulgação

*Por Juan O’Keeffe

Você se considera uma pessoa com baixa autoestima?

Se dividirmos a palavra autoestima em duas invertendo a ordem, podemos dizer que autoestima é estima por si próprio.

Ou seja, refere-se ao quanto a pessoa gosta de si própria. Uma pessoa com autoestima elevada é feliz consigo mesma, do jeito que é, com suas qualidades e defeitos.

É uma pessoa que se aceita. Por consequência, tem segurança para se relacionar com outras pessoas e realizar o que quiser.

Por outro lado, uma pessoa com problemas de autoestima é alguém que não gosta de si. Do seu próprio jeito. Ela enxerga sempre o lado negativo de si mesma.

Por exemplo, se acha muito baixo, muito gordo, muito burro, muito tímida etc. É uma pessoa que tem pouca confiança em si mesma e é cheia de inseguranças. Por consequência tem dificuldades de se relacionar, se impor e obter realizações.

Uma pessoa com baixa autoestima tem uma sensação permanente de inadequação e subestima a si mesma. Acha que ela não está certa, seu jeito de ser não está certo e, assim, se sente um peixe fora d’agua no contexto em que vive.

Justamente, uma de suas características é estar sempre se desculpando. Ela acha que está errada e os outros é que estão certos.

Esse é um tema que afeta muito a qualidade de vida das pessoas. Falta de autoestima limita nossa possibilidade de viver uma vida plena e realizada.

Se isso tem sido um problema pra você, aqui vão algumas dicas de como ter autoestima.


1. Encontre os seus pontos fortes

Todo mundo tem pontos fortes e fracos. Os dois. A diferença maior está onde você coloca sua atenção.

Tem gente que olha demais para as suas fraquezas. Pensamentos do tipo “Sou muito tímido”, “Não sei me relacionar”, “Tenho muita ansiedade”, “Sou muito indeciso” etc.

Manter a atenção nesse tipo de pensamento apenas contribui para reduzir a autoestima. Uma sugestão é fazer uma lista dos seus pontos fortes e revisar a lista constantemente se lembrando disso.

Praticar mais e mais esses pontos fortes para que se perceba que estão ali e que você tem sim características pessoais que merecem orgulho, respeito e que podem lhe ajudar muito.

2. Desenvolva excelência em alguma área

Pegue alguma coisa que você gosta para se dedicar e se torne muito bom naquilo.

Quando você se torna bom em algo, passa a ser enxergado com outros olhos pelas pessoas. Ganha respeito e notoriedade. Isso, por consequência, aumenta a autoestima.

Por exemplo, na minha adolescência uma coisa que me ajudou muito nesse sentido foi o meu domínio sobre os computadores.

Na época não eram tão populares quanto agora. Então quem entendia do assunto tinha um diferencial. Era o meu caso.

Da mesma forma tinha o que se destacava no futebol, o outro na habilidade de desenhar e assim por diante.

Isso continua valendo na vida adulta.

Por exemplo, pode se tornar um especialista em uma determinada tecnologia, especialista em um tema que seja de importância para a empresa que trabalha, se for um advogado por se tornar a principal referência em direito tributário de uma cidade do interior e assim por diante.

Ao conquistar o respeito dos outros você conquista mais respeito para si mesmo.


3. Assuma riscos

O crescimento da autoestima vem de vitórias alcançadas. Mas pra isso você precisa tentar. Quem tem baixa autoestima tem medo de tentar porque não tem a confiança necessária. Acha que não vai dar certo.

Pra resolver isso é preciso se expor um pouco e arriscar. Sem medo de ser feliz. Ok, você pode perguntar “E se não der certo?”. Sim, não dar certo é uma possibilidade. Se não der certo paciência. Tenta de novo outra vez.

O esquema é tentar, tentar e tentar até conseguir. Como se fosse aprender a andar de bicicleta. Nesse processo de evolução você vai conquistando confiança e criando mais autoestima.


4. Tome nota dos seus sucessos

Pegue uma agenda e todos os dias escreva nela os sucessos que teve no dia. O que deu certo. Não importa o que deu errado. Só o que deu certo. Mesmo que seja algo bem simples.

Escreva essas coisas diariamente. Com o tempo perceberá que realmente também tem coisas dando certo na sua vida. Isso também vai ajudá-lo a criar confiança para arriscar mais e dar passos mais largos.

5. Cuide do corpo, mas aceitando suas imperfeições

Uma das principais causas da baixa autoestima é a insatisfação com o próprio corpo. A pessoa se acha muito gorda, alta demais, nariz grande etc. O corpo que temos é o que a natureza nos deu. Algumas coisas podem ser melhoradas e outras não.

Cuidar do corpo seguindo uma alimentação adequada e malhando é algo que podemos fazer para melhorar o físico. Estar em boa forma é garantia de aumento na autoestima.

Por outro lado, o que não for possível mudar precisamos aceitar. Por exemplo, a altura.

Não adianta se estressar por ser baixo ou alto demais. O melhor é aprender a aceitar e tirar vantagem disso. Por exemplo, os mais altos podem ganhar confiança jogando basquete ou vôlei. Baixos são os preferidos para ser pilotos de corrida, por exemplo.


6. Evite relacionamentos negativos

Muitas vezes a origem da baixa autoestima vem de um relacionamento psicologicamente abusivo.

Se você convive com alguém que fica constantemente dizendo que você não vale nada e colocando todo tipo de defeito em você, sua autoestima pode ir pro buraco.

Nesses casos é preciso se dar respeito e dar um basta na situação. Seja falando com a pessoa ou se afastando dela definitivamente se necessário.

7. Defina objetivos mais realistas

Sou totalmente a favor de termos sonhos e objetivos desafiadores para buscarmos. Isso traz motivação e vontade de viver.

Mas esses objetivos precisam ser criados com inteligência para não se tornarem irreais.

Se você está sedentário faz anos e quer começar a correr, obviamente não adianta colocar como objetivo completar uma maratona no primeiro dia de corrida.

Primeiro precisa conseguir correr 15 minutos sem parar, depois 30 minutos e assim por diante até um dia estar preparado.

Criar objetivos irreais pode causar uma frustração por não atingi-los. Por consequência, isso impacta negativamente na autoestima.

É preciso criar objetivos que sejam desafiadores, mas ao mesmo tempo possíveis de serem alcançados.


8. Pare de se comparar aos outros

Uma outra causa da baixa autoestima é ficar olhando para os outros e pensando “Fulano tem tal coisa que não tenho”, “Fulana é mais bonita que eu”, “Eu nunca vou ser como ela”. É claro que você não vai! Você é você e ela é ela.

Em vez de querer ser uma outra pessoa que você não é, o melhor é desenvolver a sua própria autenticidade. O que você traz de diferente.

Isso significa ser você mesmo cada vez mais. Colocar a sua personalidade pra fora. Isso vai trazer mais segurança e aumentar sua autoestima.

Bem melhor ser o original do que a cópia.

9. Renove o visual

Beleza é uma parte importante da autoestima.

A pessoa que se sente bem com a sua aparência sente maior autoconfiança.

Por isso, investir numa roupa mais legal, um perfume novo e um corte de cabelo bacana são todas opções para dar um gás na sensação de autoconfiança e crescimento na autoestima.

10. Fique longe do perfeccionismo

Um dos motivos da baixa autoestima é a mania de perfeccionismodas pessoas.

Se não está perfeito, não está bom. Só que claro, nunca está perfeito. Então a pessoa sempre acha que nada está bom.

É preciso internalizar o conceito de que estar bom o suficiente é uma alternativa interessante. Já está ok para você ir em frente com o que precisa. Não há necessidade de se cobrar por uma utopia inexistente.

Juan O’Keeffe é empreendedor, bacharel e mestre em Administração de Empresas pela PUC-RS. Escreve sobre desenvolvimento pessoal no blog evolucaopessoal.com.br.

-- Publicidade --

Comentários no Facebook