Está na hora de mudar!

sábado, 26 de janeiro de 2019 às 12:59

Uma simples reflexão sobre o episódio na Câmara Municipal de Augustinópolis.

*Por Sandro Bandeira.

Na última sexta-feira fomos surpreendidos com esse verdadeiro escândalo na Câmara Municipal de Augustinópolis. Acredito que todo mundo tem o direito de se defender e tentar provar sua inocência, mas as provas apresentadas são contundentes e vai ser bem difícil para os envolvidos provarem sua inocência. Essa situação é tão assustadora que chegou ao ponto de não haver vereador da base do prefeito ou da oposição, parece que todos se uniram para levar vantagens as custas do povo de Augustinópolis, povo que já sofre há vários anos esperando pelas melhorias que essa bela cidade merece e tanto precisa.

Eu digo que a ultima sexta-feira dia 25/01/2019 não foi apenas um dia histórico para a cidade de Augustinópolis e o Bico do Papagaio, mas certamente esse dia poderá se tornar um marco para a política tocantinense. O excelente trabalho da Polícia Civil do Tocantins deixou claro que a partir de agora não valerá mais a pena continuar com os velhos vícios tão comuns em vários setores da política do nosso estado. Nesse episódio de Augustinópolis vimos ali pessoas de conduta ilibada, com bons serviços prestados para a sociedade e que agora estão envolvidos nesse lamaçal, fato que justifica a decepção da população que os escolheu para representar a sociedade na Câmara Municipal.

O rei Salomão escreveu que há tempo para tudo, tempo de plantar e tempo de colher, tempo de chorar e tempo sorrir, e é por isso que acredito de uma forma simples e óbvia que agora é tempo de mudar.

Mudar não apenas a forma de pensar, mas principalmente a forma de agir. Nossas cidades precisam de líderes que pensem em primeiro lugar na sociedade, que pensem grande porque o povo precisa de grandes ações para que o desenvolvimento aconteça de verdade.

Nesse caso inédito da Câmara de Augustinópolis vemos essa excelente oportunidade para essa mudança acontecer. O juiz deste caso foi feliz em afastar os investigados e permitir que os suplentes assumam os cargos. Agora é hora desses novatos tomarem as rédeas, eleger um presidente e uma mesa diretora completamente nova, e começar tudo do zero.

Mas esses novos vereadores precisam ir além e pensar fora da caixa. Promover uma integração da Câmara Municipal com toda a sociedade e também uma comunicação segura e transparente com todos os poderes e a sociedade organizada. Essa nova Câmara tem a chance de liderar um pacto pelo desenvolvimento de Augustinópolis, garantindo inclusive a governabilidade para que a prefeitura possa desenvolver as ações que o povo precisa sempre de forma transparente.

Eu conheço bem Augustinópolis e sempre vi muitas pessoas que amam essa cidade. Pessoas que almejam um município desenvolvido e com qualidade de vida para todos. Sempre vi cidadãos que querem debater, que querem ter voz e principalmente que querem participar ativamente das ações de melhorias do município. Mas o sistema político local há muito tempo engessa essas pessoas, dificultando e até impedindo que tenham voz e sejam ouvidos ou participem ativamente dessas ações de mudança.

A nova Câmara pode ser esse instrumento que irá garantir que a sociedade possa participar e ter voz. Os novos vereadores devem promover esse debate com a sociedade, um debate sincero e transparente.

A nova Câmara tem a chance de ser forte e ter o apoio da população. Mas para isso acontecer é preciso fazer diferente. Cidades como Augustinópolis tem problemas tão grandes que é impossível para uma única pessoa resolver. Necessita de um grupo comprometido, e de um pacto pelo desenvolvimento da cidade. Isso só vai acontecer se houver transparência nas ações, muito diálogo com a sociedade e ainda a união das pessoas. Esse pacto só acontece se os grupos políticos deixarem agora as picuinhas e as disputas políticas de lado e se envolverem para conseguir o apoio do governo do estado, e principalmente do Governo Federal para que a cidade tenha a oportunidade de receber os recursos para melhorias de infraestrutura urbana (asfalto, esgoto, praças), saúde, educação, desenvolvimento da zona rural, esporte e laser entre outros. Para conseguir estes recursos é preciso de planejamento e organização. Como já disse, pensar fora da caixa e projetar um plano de desenvolvimento da cidade para os próximos 10 anos. Tem que pensar na cidade em primeiro lugar.

É tempo de mudar, é tempo de fazer diferente. Se for repetir as mesmas atitudes vamos ter esse mesmo resultado triste e vergonhoso.

Pense nisso Augustinópolis, vamos aproveitar essa crise para promover as mudanças que essa bela cidade merece e tanto precisa.

Sandro Bandeira é formado em Administração pelo Ceulp Ulbra e também é articulador político.

-- Publicidade --

Comentários no Facebook