Senado aprova criação da Universidade do Norte do Tocantins; projeto aguarda sansão presidencial

quinta-feira, 13 de junho de 2019 às 09:50
Ainda será discutida também a implantação de um campus da UFNT em Araguatins – Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O plenário do Senado aprovou nesta quarta-feira (12) o projeto de lei que cria a Universidade Federal do Norte do Tocantins (UFNT), com campus em . Pelo PL 2.479/2019, a nova instituição virá do desmembramento da Universidade Federal de Tocantins (UFT) e terá sede e foro no município de Araguaína. A matéria segue para sanção presidencial.

A iniciativa prevê que cursos, alunos e cargos dos campi da UFT de Araguaína e Tocantinópolis sejam automaticamente transferidos para a UFNT e cria os campi de Xambioá e Guaraí.Ainda será discutida também a implantação de um campus da UFNT em Araguatins. A UFT tem hoje mais de 20 mil alunos, oferecendo cerca de 50 cursos presenciais de graduação, entre licenciaturas, bacharelados e cursos tecnológicos.

Publicidade

O desmembramento da UFT foi proposto há três anos pela ex-presidente Dilma Rousseff. Na ocasião, o Poder Executivo propôs a criação de cinco novas universidades federais, a partir de desmembramento de campi já existentes em Goiás, Mato Grosso, Piauí e no Tocantins. Todas as universidades já foram criadas, a única pendência era a do Tocantins.

Ao ser analisada pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado (CCJ), o relator da proposta, senador Eduardo Gomes (MDB-TO), afirmou que o desmembramento da UFT trará inúmeros benefícios para o entorno, por meio da ampliação da oferta de ensino superior e da geração de conhecimentos científicos e tecnológicos necessários ao desenvolvimento regional.

A nova instituição facilitará o desenvolvimento dos 66 municípios que pertencem à região de Araguaína e Bico do Papagaio, onde vivem 1,7 milhão de habitantes, ressaltou o senador. Em 2016, o governo estimou que o custo mensal para a implantação da UFNT seria de R$ 893 mil, ao passo que o custo anual totalizaria R$ 11,9 milhões.

 

(Agência Brasil)

-- Publicidade --

Comentários no Facebook